Mundo

Battisti vira réu por falsidade ideológica

Crédito: AFP/Arquivos

(Arquivo) O ex-ativista italiano Cesare Battisti concede entrevista em São Paulo (Crédito: AFP/Arquivos)

O italiano Cesare Battisti virou réu no Brasil por falsidade ideológica e teve de entregar seu passaporte às autoridades. A informação é do portal “G1”.

O ex-guerrilheiro já responde a um processo por evasão de divisas, após ter sido preso, em outubro do ano passado, tentando entrar na Bolívia com o equivalente a mais de R$ 20 mil em moeda estrangeira.

Segundo o Ministério Público de São Paulo (MPSP), Battisti passou informações falsas ao se casar em cartório com uma brasileira, em 2015, na cidade de Cananéia, no litoral sul paulista. A acusação diz que o italiano mentiu ao informar que residia em Embu das Artes, na região metropolitana de São Paulo, embora morasse no município costeiro.

Sua esposa também virou ré, por declarar que habitava em Belford Roxo, no Rio de Janeiro. O processo corre na Comarca de Cananéia, e o casal tem até o dia 20 de abril para apresentar sua defesa.

Além de entregar seu passaporte, Battisti não poderá sair de casa depois das 22h e foi proibido de frequentar casas noturnas ou boates, segundo o “G1”. Ele também não tem permissão para sair de Cananéia. A defesa do italiano questionou a decisão da Justiça, já que o ex-guerrilheiro continua morando na cidade até os dias de hoje.

Battisti foi condenado à prisão perpétua em seu país por quatro assassinatos ocorridos na década de 1970 e envolvimento com o terrorismo. Ele diz ser alvo de perseguição política, e a Itália tenta novamente obter sua extradição.

O governo de Michel Temer já aceitou entregá-lo a Roma, mas aguarda uma posição do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre se o presidente pode ou não reverter a decisão de Luiz Inácio Lula da Silva que autorizou a permanência do italiano no Brasil. (ANSA)