Mundo

Avião que transporta Evo Morales ao México fez escala no Paraguai

Avião que transporta Evo Morales ao México fez escala no Paraguai

Um jogo de Cartel de Evo Morales durante um protesto em frente à Embaixada da Bolívia, segunda-feira, na Cidade do México - AFP

O avião que transporta o ex-presidente da Bolívia Evo Morales fez uma escala de reabastecimento no aeroporto internacional Silvio Pettirossi de Assunção (Paraguai) antes de seguir para o México.

Um avião Gulfstream G 550 da Força Aérea Méxicana que tem Morales como passageiro decolou às 5h00 locais com destino a Cidade do México, onde o ex-chefe de Estado recebeu asilo político.

Morales é acompanhado por seu filho e pelo ex-vice-presidente Álvaro García.

A aeronave pousou em Assunção 1H35 para o reabastecimento e para estabelecer sua rota, imprescindível para uma viagem de avião, informou o ministro do Interior do Paraguai, Euclides Acevedo.

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, revelou na segunda-feira que o presidente paraguaio Mario Abdo Benítez também havia concedido asilo a Morales e muitos especularam que o boliviano viajaria à capital do Paraguai.

Mas as autoridades paraguaias indicaram que o ex-presidente boliviano decidiu aceitar o asilo oferecido pelo presidente do México, Andrés Manuel López Obrador.

Acevedo disse que o avião poderia fazer uma nova escala em Lima antes de seguir para a Cidade do México.

Dois carros-fortes se aproximaram do terminal aéreo, informou uma emissora de TV local.

O ex-governador de Tarija Mario Cossio, exilado em Assunção, escreveu no Twitter “Evo Morales em Assunção: o avião mexicano que o trouxe e curiosamente 2 caminhões da Prosegur transportando dinheiro… coincidência?”

“Que lástima que coloque os pés em um país no qual se respira liberdade e democracia”, completou.

“Evo, sua perseguição forçou ao exílio mais de 1.300 oponentes de sua ditadura e você dizia que o asilo era para criminosos confessos: e agora, o que você é?”, questionou Cossio.

O presidente do Paraguai, Mario Abdo, fez um apelo na segunda-feira para que a Bolívia consolide o processo democrático com eleições e o respeito da vontade popular.