Edição nº2556 14/12 Ver edições anteriores

Avaliação positiva

NOME E AÇÃO A população enxerga as ações positivas do governo. Mas não as associa diretamente a Temer (Crédito: Beto Barata)

O governo recebeu recentemente uma pesquisa que animou o presidente Michel Temer nas suas pretensões de disputar a reeleição em outubro. Ela mostra que a população reconhece que diversas ações recentes em seu benefício foram iniciativas do governo, embora não as associem diretamente a Temer. É alto o percentual de apoio a ações do governo, especialmente relacionadas à recuperação econômica do País. Temer, como candidato, permanece com percentual baixo, em torno de 1%. Mas as pessoas elogiam as ações que reduziram a inflação e recuperaram os níveis de emprego, por exemplo, com percentuais que ultrapassam os 20%. Os dados da pesquisa mostram que o trabalho de comunicação a ser feito está em associar tais ações e seus resultados à imagem do presidente para alavancá-lo.

Segurança

A pesquisa é anterior às ações recentes feitas na área de segurança. O governo acredita, portanto, que tais percentuais de apoio deverão aumentar com a percepção concreta de melhoras nessa área a partir da intervenção no Rio de Janeiro e a criação do Ministério da Segurança. O governo confia conseguir apresentar números positivos já em março.

Insatisfação

A cúpula da Aeronáutica não digeriu bem a nomeação de um general para o comando do Ministério da Defesa. Acredita que possa haver cortes na modernização da Força Aérea, inclusive com atrasos no programa de aquisição dos novos caças suecos. Na Marinha, todos estão felizes com o projeto do submarino nuclear.

Sem limites

Elza Fiuza /Agência Brasil

Enquanto o Brasil bate recordes de casos de febre amarela (723 desde julho, aumento de 28%), na surdina, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, entrega o orçamento da pasta ao ficha-suja Márcio Reinaldo Dias Moreira e nomeia como consultor jurídico Daniel Ramaunik, advogado das campanhas da mulher e da filha. Barros achou que a travessura passaria despercebida. Ledo engano. Entidades passaram a torpedear a jogada marota.

Rápidas

* Ao longo de todo o período em que esteve no Haiti, a Força de Paz brasileira teve a participação direta de 40 mil militares. Eles agora deverão estar relacionados à intervenção federal no Rio de Janeiro. As principais ações brasileiras no Haiti estavam ligadas a policiamento ostensivo.

* Pesquisa feita pelo Instituto Paraná Pesquisas, na última semana, mostra que são grandes as chances de os paulistas elegerem para o Senado o ex-casal Suplicy. Eduardo teria 36,6 % das intenções de voto e Marta 19,2%.

* A rejeição ao PT e aos seus candidatos não atinge Eduardo Suplicy. Segundo a pesquisa, ele só deixaria de ser o líder na disputa pel0o Senado caso o apresentador José Luiz Datena se candidate. Datena teria 42,4% e Suplicy 33,3%.

* Já o PSDB não aparece bem no retrato. O ministro tucano das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, aparece mais atrás no mesmo levantamento do Paraná Pesquisas. Ele somaria apenas 11,1% em seu melhor cenário.

Retrato falado

Um dos nomes da cúpula do novo Ministério da Segurança Pública será o general Carlos Alberto Santa Cruz. Ele já era o secretário nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e agora acumula essa função com a Secretaria Executiva da nova pasta comandada por Raul Jungmann. Santa Cruz foi um dos comandantes da Força de Paz da ONU no Haiti. A experiência brasileira no país caribenho norteará as ações militares no Rio de Janeiro.

Edifício mal-assombrado

O Edifício Solaris, no Guarujá, onde o ex-presidente Lula tem um tríplex, se transformou definitivamente num mico. Pela posse do imóvel Lula poderá ser preso e ficar inelegível este ano. Agora, soube-se que o piloto Felipe Ramos Morais, que conduziu o helicóptero usado na morte de dois lideres do PCC na semana passada no Ceará, Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, tem apartamento no quarto andar do edifício no litoral paulista. Como o piloto está foragido desde o crime, a Polícia Civil de São Paulo foi até o imóvel para fazer buscas na tentativa de localizá-lo. O apartamento estava vazio.

Prejuízo bilionário

A desembargadora Maria do Carmo Cardoso (foto) autorizou dois cidadãos coreanos, encrencados nas Justiças dos EUA e do Brasil, a retirarem o equivalente a US$ 200 milhões de manganês de uma mina na Serra do Navio(AP). Para o MPF, há uma fraude na transação, que poderá gerar um prejuízo de mais de US$ 1 bilhão para a União.

Fraude ignorada

Ocorre que a dona do minério é a Ecometals, empresa que tem como sócios americanos e ingleses associados a brasileiros. O contrato só poderia ser examinado no juízo arbitral em Londres, e não pela Justiça brasileira. O MP denunciou a fraude e o risco de grave prejuízo para o País, mas a desembargadora Maria do Carmo desconheceu os alertas.

Ratinho outra vez

A entrevista que o ministro Henrique Meirelles concedeu ao apresentador Ratinho não foi ao ar por causa do recuo em relação à reforma da Previdência. Agora, o ministro vai gravar outra participação no programa, desta vez falando sobre os bons números da economia e a reforma trabalhista.

Toma lá dá cá

Murilo Hidalgo, diretor do Instituto Paraná Pesquisas

O senhor acredita que a intervenção no Rio muda o jogo eleitoral?

Se ela for um sucesso, dois atores políticos vão se beneficiar. Primeiro, o presidente Michel Temer. Depois, Jair Bolsonaro.

Por que?

O Temer porque é o padrinho da medida e Bolsonaro, porque defende e sempre defendeu a militarização.

E se não der certo?

Se for ruim, os dois perdem. Mesmo Bolsonaro não se envolvendo diretamente na medida, ele perde eleitoralmente, sem dúvida.

 


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.