A Áustria se classificou em primeiro lugar do Grupo D para as oitavas de final da Euro-2024 com uma vitória por 3 a 2 sobre a Holanda nesta terça-feira (25), em Berlim, pela terceira e última rodada da fase inicial.

Os gols de Donyell Malen (aos 6 minutos, contra), Romano Schmid (59′) e Marcel Sabitzer (80′) garantiram a vitória dos austríacos, apesar da reação holandesa com Cody Gakpo (47′) e Memphis Depay (75′).

“Se vencemos a Holanda e vencemos o grupo, não podemos ser tão ruins”, declarou Sabitzer, eleito o Melhor Jogador em Campo da Uefa, após a partida. “Quando você vence desta forma, o grupo, marcando o gol do jogo, nada pode ser melhor que isso”.

O empate (1-1) em Dortmund entre França e a já eliminada Polônia deixa os ‘Bleus’ na segunda posição da chave, com 5 pontos, e os austríacos na liderança, com 6.

A ‘Oranje’ do técnico Ronald Koeman, que assim como a França já estava matematicamente classificada desde a derrota da Albânia na segunda-feira para a Espanha (1-0), avança como uma das melhores seleções a terminar na terceira posição, com 4 pontos.

– “É preciso mudar algo” –

Embora ao superar esta primeira fase a Holanda cumpra o objetivo mínimo exigido a uma seleção candidata, avançar em terceiro representa uma dificuldade a mais para os campeões europeus de 1988, uma vez que enfrentarão nas oitavas de final um líder de grupo.

“Somos todos responsáveis por esta situação. Não há um ou dois culpados… se quisermos fazer algo neste torneio, precisamos mudar alguma coisa”, disse o capitão Virgil van Dijk à televisão holandesa.

Já a equipe comandada pelo técnico Ralf Rangnick vive uma situação contrária, repleta de positivismo, aos chegar às oitavas da competição pela segunda vez na sua história e também de forma consecutiva. Em 2021, os austríacos perderam nessa fase da competição para a futura campeã Itália (0-0, 2-1 após a prorrogação).

Além disso a classificação foi obtida depois de ter jogado de igual para igual na estreia contra a França (derrota por 1 a 0) e derrotado a Polônia de Robert Lewandowski (3-1), a quem eliminou na segunda rodada.

A Áustria chegou a Berlim precisando de uma vitória, mas nunca havia conseguido duas vitórias consecutivas numa Eurocopa. No entanto, as escritas existem para serem quebradas e o jogo no Estádio Olímpico logo ficou favorável aos austríacos.

– Chuva de gols no 2º tempo –

Um passe da lateral esquerda de Alexander Prass encontrou o atacante Malen, que tentou afastar a bola mas acabou mandando com força e à queima-roupa para a sua própria baliza.

O jogador do Borussia Dortmund não teve sorte, pois minutos depois desperdiçou cara a cara com Patrick Pentz (23′), com um chute desviado. O mesmo aconteceu com Tijjani Reijnders minutos antes (14′), e Memphis Depay (42′) com uma cabeçada pouco antes do intervalo.

A Áustria também levava perigo, especialmente com um poderoso chute rasteiro de Marcel Sabitzer (39′), defendido por Bart Vebruggen.

E essa falta de gols no primeiro tempo desapareceu após o intervalo, com uma chuva de gols que mudaram várias vezes a classificação do grupo.

Cody Gakpo não perdoou na primeira chance do segundo tempo, após um grande contra-ataque, mas 15 minutos depois, Schmid voltou a colocar os austríacos na frente com uma bela cabeçada.

Depay, em uma jogada acrobática que teve que ser revista para conferir um possível toque de mão, deixou tudo igual novamente: 2 a 2.

Mas a Áustria não se deixou abalar, e Sabitzer marcou o gol da surpreendente vitória, definindo com frieza e precisão no mano a mano contra Vebruggen (80′).

dam/pm/aam/cb