Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O contrato de empréstimo do meia Augusto Galván com o Santos se encerra nesta quinta-feira. E o jogador se despediu do clube com muita gratidão. Augusto revela que queria ter feito mais pelo Peixe.

“O Santos tem uma história gigante e sou muito agradecido por todo o tratamento desde que cheguei. Claro que o atleta quer mais, queria ter atuado mais, mas são coisas que acontecem no futebol, é do jogo. Com toda a certeza sigo na torcida pelo Santos sempre, meus companheiros. É um grupo que se dedica muito e vai buscar coisas grandes ainda nesta temporada”, afirmou o meia canhoto, que concluiu:

“Já me despedi dos meus companheiros do Santos, de todos os profissionais. Fica só o agradecimento por tudo, do roupeiro ao presidente. Estou 100% fisicamente, estava trabalhando normal aqui no Santos e ainda não sacramentamos onde jogaremos na segunda metade do ano. Quero jogar e me sinto pronto”.

Augusto foi emprestado ao Alvinegro da Vila pelo Real Madrid, mas o garoto não vingou. Aos 23 anos, ele sequer conseguiu estrear no profissional do Peixe.

O Santos optou no ano passado por “descer” o jogador ao Sub-23 para ganhar mais minutagem antes de ser aproveitado no profissional. Augusto foi inscrito na Copa Paulista, atuou em algumas partidas e chegou a balançar as redes na competição.

Durante uma partida contra o São Bernardo, pela Copa Paulista, em outubro, o meia foi substituído e ficou fora por alguns meses. Augusto Gálvan sofreu uma lesão séria no adutor e não atuou no restante da temporada. Ele vinha treinando com os jogadores que também não estão nos planos do técnico Fabián Bustos, como Allanzinho, Tailson, Jobson e Lucas Lourenço.

O presidente Andres Rueda minimizou o fracasso na contratação do meia. Segundo o cartola, é impossível que todo jogador que seja contratado dê certo, mas explicou que não firmar contratos “malucos” garante segurança para o clube em caso de fracasso no desempenho.

“Nem todo jogador que a gente traz, isso é impossível, vai dar certo. Você vai trazer um jogador, uma parcela da certo e a outra da errado. Agora, uma preocupação dessa gestão, não é fazer contratos malucos igual eram feitas anteriormente. A grande maioria dos nossos contratos de jogadores que acham que são apostas, primeira coisa: o salário é baixo. E tentamos, dentro do possível, que não ultrapasse nossa gestão. Foi perguntado se é mais inteligente fazer contrato de três anos e não de dois, mas você teria que pagar uma luva ou contrato maior”, disse Rueda em abril deste ano.

Carreira

Augusto Galván deixou o São Paulo em 2017 após venda ao clube merengue. A saída do jogador do clube do Morumbi teve roteiro parecido com a de Kaio Jorge do Santos. Com o contrato próximo de acabar, o Tricolor Paulista se viu “obrigado” a negociar o jogador para conseguir lucrar algo. Enquanto esteve no São Paulo, Augusto chegou a ser convocado para as seleções de base do Brasil.

O Real Madrid pagou 1 milhão de euros (R$ 6,1 milhões) como compensação ao São Paulo. O contrato ainda previa 2 milhões de Euros em caso de bônus por metas atingidas, assim como o de Kaio Jorge. No caso de Augusto, ele não chegou a ser integrado ao time profissional do Real Madrid.

No São Paulo, o jogador fez parte de uma geração multicampeã. Ao todo a geração de 1999 foi tricampeã paulista na base de forma consecutiva, vencendo o sub-15 em 2014 e o sub-17 em 2015 e 2016, a Copa do Brasil Votorantim sub-15 de 2014 e também foi campeã da Taça BH sub-17 em 2016.

Na temporada 2018/2019, o Augusto entrou em campo em 19 jogos (4 como titular) pelo Real Madrid Castilla (como o Santos B). Já em 2019/2020, foram 6 jogos, sendo 15 no banco e 53 minutos na terceira divisão pelo Cultural Leonesa. Na última temporada, 15 jogos, sendo 9 como titular e 2 gols no Las Rozas (terceira divisão espanhola).

Embora poucos jogos como titular, Augusto Galván conseguiu um grande feito pelo Cultural Leonesa. O jogador esteve em campo na classificação histórica do time espanhol contra o todo poderoso Atlético de Madrid, de Simeone, por 2 a 1, na Copa do Rei.