Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Valéria Silva é uma atriz brasileira que vive nos Estados Unidos. Ela mudou há quase 10 anos para estudar atuação para cinema e TV em Los Angeles. Desde então, ela vem trabalhando lá fora. Fez comerciais e filmes. Ela também produz o festival de cinema Hollywood Brazilian Film Festival.

Atualmente, ela participa do longa-metragem da Netflix “Diários de Intercâmbio”, estrelado por Larissa Manoela. Ela também está no filme “O Faixa Preta: A Verdadeira História de Fernandinho Tererê”, no qual contracena com Isabel Fillardis e Raphael Logan, e no longa “Breathless”, da Accorde Filmes, no qual atual ao lado de Bruno Gissoni e Pedro Caetano, e vai estrear no Telecine.

Valéria idealizou e apresentará o programa de turismo “Próxima Parada”, no canal a cabo Woohoo. Para o ano que vem, ela tem já uma comédia para ser gravada em Los Angeles com o ator Edmilson Filho (Cine Hollyúdi). Valéria é também produtora e tem projetos voltados para o protagonismo de atores negros em desenvolvimento, uma características dos trabalhos desenvolvidos por sua produtora.

Como vc se adaptou morando no exterior?

Me adaptar aqui na verdade não foi muito difícil, quando você vem engajado em um objetivo e foca nisso as coisas começam a fluir. Eu consegui atrair  pessoas maravilhosas que me apoiaram e ajudaram muito, e claro o apoio da família foi enorme. Não estou dizendo que morar aqui é fácil. Não é. Muitas pessoas enfrentam muitas dificuldades tive muitos amigos que desistiram, e voltaram para seus países. Mas o que fez eu ficar na verdade foi uma oportunidade atrás da outra e claro eu me senti super a vontade e bem recebida aqui.

Imaginava que vc ficaria por aí quando foi estudar?

Não imaginava. Na verdade o plano não era nem esse. Eu vim com a intenção de estudar e acabei me apaixonando pela indústria aqui, já fiz comerciais, produzi e atuei em filmes aqui em Los Angeles. Produzo também um festival de cinema chamado Hollywood BraZilian Film Festival. E o que mais me impressiona até hoje são as oportunidades que chegaram até mim. Principalmente oportunidades de trabalho no Brasil, eu morando aqui conheci muitas pessoas da indústria do cinema brasileiro e essas pessoas me ajudaram e ainda me ajudam muito, sou muito grata por essas pessoas em minha vida.

O que tem de diferente no mercado do EUA e do Brasil?

Aqui nos EUA em questão do mercado não é mais fácil, porém tem mais oportunidades. Na área artística voce pode sempre estar trabalhando, existem sites que você se cadastra e quando os testes aparecem você pode se auto aplicar para esses testes, ver quanto paga, quando grava, aqui eles exigem muito mais da sua disciplina como artista, não fica tudo nas costas do agentes ou empresários. Claro que se você quiser estar em uma série grande você precisa ter um agente, porém o fato de estar trabalhando já é um passo enorme, o que no Brasil eu senti uma dificuldade maior de acordo com o que meus amigos que são artistas brasileiros me falaram.

Qual é a expectativa com o trabalho em Diarios de Intercâmbio?

A expectativa é enorme. Espero que me abra portas no Brasil afinal o plano foi sempre esse,  trabalhar no Brasil, apesar de eu estar morando aqui em Los Angeles e ter projetos aqui. Mas a vontade de trabalhar no Brasil nunca foi embora.

Já deu para sentir um retorno com a estreia do filme?

Ja sim. Tive muitas pessoas entre amigos, família e fãs me mandaram mensagens. Oportunidades de trabalham estão surgindo por conta do filme… então a expectativa é enorme.

Qual é o seu maior objetivo como artista?

Meu maior objetivo como artista é a representatividade. Eu cresci sem uma heroína preta jovem, sem uma dona de empresa preta na televisão, sem alguém que eu poderia me espelhar e me ver no futuro, eu quero ser essa pessoa que inspira jovens pretos e que vêem uma inspiração no meu trabalho.

E personagem dos seus sonhos?

Sou apaixonada em sci-fi fantasy e ação. Então o personagem dos meus sonhos seria algo no ramo. Eu mesma escrevo séries e filmes a partir de personagens nos quais eu me inspiro. espero que um dia essas história sejam contadas.

Deseja voltar a morar no Brasil?

Sou apaixonada pelo Brasil. Amo estar no Brasil. Porém tenho uns projetos em Los Angeles que não posso abandonar. O plano sempre foi de trabalhar no Brasil. Não planejo morar definitivamente no Brasil mas moraria temporariamente caso tenha um projeto gravando e depois voltaria pra Los Angeles.

Fale um pouco sobre seus próximos trabalhos.

Tenho o longa metragem O faixa Preta pra sair nos cinemas ano que vem com Raphael Logam e Isabel Fillardis. Tenho também o longa Sem Fôlego que vai sair na Telecine até o fim desse ano. E claro que eu escrevi um filme de comédia brasileiro, que estamos em negociação ainda e não posso falar sobre por conta de contratos. Estou finalizando a gravação de um programa de TV sobre turismo no exterior para o canal da tv a cabo Woohoo. O programa se chama “Próxima Parada”, eu o divido com mais duas apresentadoras Priscila Ferrari e Carolla Parmejano, e está ficando lindo. Acabei também de escrever um filme de ação onde temos uns personagens surpresas que vocês vão adorar. Tem muita coisa bacana rolando. Não vejo a hora de mostrar pra vocês.