Cultura

Ator de teatro e TV, Gesio Amadeu morre aos 73 anos vítima de covid

O ator Gesio Amadeu morreu nesta quarta-feira, 5, aos 73 anos, por falência múltipla dos órgãos após ser internado em junho com a covid-19. A informação foi divulgada pela família nas redes sociais. Ele tinha 73 anos.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Amadeu era ator de teatro e televisão, e ficou muito conhecido por seu trabalho em Chiquititas, no SBT, no Sítio do Pica Pau Amarelo na Globo, em filmes e em diversas novelas da própria Globo, da TV Bandeirantes e da TV Tupi. Mais recentemente, ele trabalhava na série infanto-juvenil Bugados, do canal Gloob.

No fim de junho, Mario disse que o pai foi internado para realizar exames pois estava com a pressão alta. A suspeita é que ele contraiu a covid-19 no hospital.

Meu pai está atualmente na UTI, recebendo o melhor tratamento possível, conforme a percepção da nossa família. […] Seus pulmões foram comprometidos em mais de 50%, mas a boa notícia é que ele está respondendo bem ao tratamento”, escreveu Mario Amadeu em seu Facebook no dia 24 de junho.

Segundo ele, seu pai começou a apresentar problemas de pressão alta no mês passado e foi a um hospital em 24 de maio para fazer exames, mas acabou ficando internado por 8 dias na UTI.

Gésio Amadeu teve alta e foi para um quarto, mas apresentou febre e aumentou as suspeitas de covid-19, porém, ainda não havia confirmação. Em 8 de junho, ele resolveu mudar de hospital: “À essa altura, o pulmão do meu pai já estava bem mais comprometido”.

Mario, que acompanhou o pai ao longo da situação, também acabou contraindo a covid-19 e passou 14 dias fazendo quarentena em sua casa e se tratando, já estando recuperado.

Na mesma época, um texto viralizou pedindo doações de sangue para o ator, o que motivou uma nota da assessoria do hospital Sancta Maggiore: “Diferente do que foi divulgado, a Prevent Senior não solicitou doações de sangue para o paciente, embora incentive a prática”.

Mario Amadeu, filho de Gésio, também falou sobre o tema na ocasião. “Há poucos dias meu pai precisou de uma transfusão de sangue. Nós, como família, pedimos para amigos mais chegados que fizessem doações pois os bancos de sangue necessitam de reposição e, num geral, nessa pandemia, os estoques estão mais baixos”.

A carreira de Gesio Amadeu

Gesio Amadeu tem uma extensa carreira artística, no teatro e na TV. Na Tupi, onde ficou até o encerramento das atividades da emissora, fez novelas como Éramos Seis, O Direito de Nascer e Gaivotas. Amadeu atuou em várias novelas da Globo, como na primeira e segunda versão de “Sinhá Moça”, “Renascer” e “A Viagem”. Também atuou na série infantil “Sítio do Pica Pau Amarelo” e ficou muito conhecido por interpretar o cozinheiro chefe Chico de “Chiquititas”, no SBT.

Na emissora, ele fez diversos trabalhos, como o personagem Alaor, na novela Flor do Caribe (2013), que voltará em breve à programação na TV aberta.

Em um encontro no programa da Multishow Vai, Fernandinha, a apresentadora Fernanda Souza reuniu quatro ex-chiquititas, que falaram com Amadeu por uma chamada de vídeo e se emocionaram.

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea