Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

A pandemia alterou a rotina no mundo do esporte, além da retirada do público. Em meio à testes e proibições para conter a disseminação do vírus nas competições, um fato chamou a atenção neste domingo (9) na Copa do Mundo de ginástica rítmica.

Uma das favoritas, a Bulgária ficou no lugar mais alto do pódio nas duas finais por equipes, até este momento nada diferente do esperado. No entanto, durante a premiação, as medalhas foram entregues para os vencedores por um drone. Isso mesmo, o objetivo da organização foi evitar aglomerações e manter o distanciamento social.

O Brasil foi representada pelas ginastas Maria Eduarda Arakaki, Beatriz Linhares da Silva, Bárbara Galvão, Deborah Medrado, Gabrielle Moraes da Silva e Geovanna Santos da Silva. A equipe brasileira chegou até a final e ficou em oitavo lugar na classificação geral.

A competição rende pontuação para os atletas que buscam uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A equipe brasileira vai disputar a vaga olímpica no Campeonato Pan-Americano no próximo dia 11 de junho.