Esportes

Atleta russa da marcha atlética é suspensa por doping e perde ouro olímpico

Dez anos após se sagrar campeã olímpica nos Jogos de Londres-2012, na Inglaterra, a russa Yelena Lashmanova perderá a medalha de ouro que conquistou na prova de marcha atlética de 20 quilômetros. Ela também será suspensa por dois anos por ter testado positivo em teste antidoping.

A informação foi divulgada pela Unidade de Integridade do Atletismo (AIU, na sigla em inglês). De acordo com a entidade, a punição foi baseada em dados e evidências do Sistema de Gestão de Informações Laboratoriais (LIMS) e também das investigações de Richard McLaren, que desvendou um sistema estatal russo de apoio ao doping.


A punição é retroativa a 9 de março do ano passado, quando começa a contar o período de dois anos de suspensão. Ela também perde todos os resultados obtidos entre 18 de fevereiro de 2012 e 3 de janeiro de 2014. Na prática, terá cassada a medalha de ouro em Londres e também o título mundial conquistado em Moscou, no ano seguinte.

Curiosamente, trata-se do segundo caso de doping russo na mesma prova olímpica. Olga Kaniskina, que havia faturado a prata há dez anos, já tinha sido punida pelo mesmo motivo. E já teve retirada sua medalha.

De acordo com a AIU, Lashmanova aceitou a punição. Trata-se do segundo caso de doping envolvendo a atleta. O primeiro aconteceu em 2014, em sua primeira suspensão por dois anos. Seu técnico na época, Viktor Chegin, também foi punido. Em 2016, ele foi banido do esporte de forma definitiva.