Geral

Ativista negra morre após operação da polícia no Rio Grande do Sul

Crédito: Reprodução

Uma ativista negra morreu nesta terça-feira (8), em Porto Alegre, durante uma operação da Brigada Militar do Rio Grande do Sul. As informações são da Folha.

Jane Beatriz Silva Nunes teria morrido em decorrência de uma queda na escada da sua casa, na Vila Cruzeiro, em Porto Alegre, após policiais tentarem entrar na sua casa, segundo a advogada Marcia Soares, da ONG Themis, à qual Jane era ligada.


A ativista estaria voltando do mercado quando viu que policiais tentavam entrar na residência. Ela teria resistido e pedido às autoridades para ver o mandado para que entrassem na casa, segundo a advogada.

Moradores da região protestaram contra a morte de Jane na tarde dessa terça. A ONG Themis, que trata de discriminações contra mulheres no sistema de Justiça foi uma das responsáveis por convocar o ato.

Segundo a advogada, a Brigada Militar já vinha fazendo abordagens nas casas dos moradores da Vila Cruzeiro.

Em uma publicação nas redes sociais, a ONG Themis diz que “é imprescindível e urgente que as circunstâncias da morte de Jane sejam rigorosamente apuradas pelas autoridades competentes; que a família e a comunidade recebam o adequado apoio e respeito do Estado e que ações concretas sejam tomadas pelo Poder Público para que os direitos e as vidas das pessoas negras e periféricas não sejam mais sistematicamente violados”. Confira a nota completa ao final do texto.

À reportagem, a assessoria da Brigada Militar enviou informações de que o Instituto geral de Perícias do Rio Grande do Sul “identificou como causa da morte o rompimento espontâneo de um aneurisma cerebral. Não foi localizado no corpo nenhum sinal de trauma que justificasse o óbito”.