Saúde

Atividade física intensa pode ser prejudicial para algumas pessoas com diabetes tipo 2


Frederico Cursino, da Agência Einstein

A atividade física é reiteradamente associada à prevenção de doenças e à melhora do quadro clínico, como é o caso de pessoas com diabetes tipo 2 que mudam o estilo de vida e costumam praticar mais exercícios físicos para ter mais qualidade de vida e reduzir os riscos de complicações. Porém, um estudo da Wake Forest School of Medicine (EUA) indica que essa abordagem pode ser prejudicial para pessoas com controle insuficiente de glicemia no sangue.

O estudo, publicado no jornal científico Diabetes Care, reavaliou a pesquisa do National Institutes of Health Action for Health in Diabetes (Look AHEAD), que havia concluído que a intervenção intensiva no estilo de vida não ajudava nem prejudicava as pessoas com diabetes.

“Ao contrário das descobertas iniciais do Look AHEAD, nosso trabalho descobriu que as intervenções no estilo de vida reduziram os danos cardiovasculares em potencial e otimizaram os benefícios para 85% dos participantes do estudo”, esclarece Michael P. Bancks, principal investigador do estudo. “No entanto, para aqueles que tinham controle insuficiente do açúcar no sangue, a intervenção no estilo de vida aumentou o risco de eventos cardiovasculares maiores. Com base em nossas descobertas, os médicos podem querer considerar opções alternativas, como medicamentos para baixar a glicose, antes de tentar a modificação do estilo de vida dessas pessoas”, complementa.

O estudo da Wake Forest School of Medicine dividiu os participantes em quatro subgrupos: diabetes com início em idade avançada, controle glicêmico deficiente, obesidade severa e idade mais jovem no início. A resposta de cada grupo foi examinada de acordo com a intervenção intensiva no estilo de vida e sua associação com os principais eventos cardiovasculares.


+ Mãe conta à polícia que ateou fogo e matou bebê por ‘vergonha’ de ter a gravidez descoberta
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Youtuber é perseguido por jacaré de três metros: veja vídeo



No subgrupo com baixo controle glicêmico, a intervenção foi associada a um risco 85% maior de sofrer um evento cardiovascular em comparação com o grupo controle. Entre os três outros subgrupos de diabetes analisados, o estilo de vida intensivo não foi relacionado a um risco elevado de eventos cardiovasculares fatais e não fatais.

“Embora o interesse em subgrupos de diabetes esteja crescendo, nosso estudo é um dos primeiros a aplicá-lo à intervenção no estilo de vida”, disse Bancks. “Portanto, para os médicos, determinar a qual subgrupo seu paciente se assemelha mais deve ajudá-los a determinar a melhor opção de tratamento e reduzir qualquer dano potencial para aquele indivíduo”.

(Fonte: Agência Einstein)

The post Atividade física intensa pode ser prejudicial para algumas pessoas com diabetes tipo 2 appeared first on Agência Einstein.

Veja também

+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tenha também a Istoé no Google Notícias
+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS