Até que o ‘mito’ não foi tão mal, se comparado consigo mesmo, é claro

Até que o ‘mito’ não foi tão mal, se comparado consigo mesmo, é claro

Quem leu minha coluna nesta manhã de terça-feira (21/9), ficou sabendo, de antemão, o que acabou de dizer o presidente Jair Bolsonaro – cada vez mais, o maníaco do tratamento precoce – no discurso de abertura da assembleia anual geral da ONU (Organização das Nações Unidas), tradicionalmente realizado pelo Brasil.

O amigão do Queiroz, para não variar nem um pouco, desfilou uma série de mentiras, mistificações e meias verdades. Começou dizendo que o Brasil, antes dele, estava à beira do socialismo. Bem, se Temer é socialista, Bolsonaro é o próprio Marx, já que subscritor do ex-presidente na carta de arrego ao STF.

Em seguida, passou a descrever um país que só existe naquela cabeça deturpada, onde não há violência e preconceito; onde reina a tolerância e a aceitação de todos; onde há segurança jurídica e respeito, por parte dele, o golpista aloprado, pela democracia, e onde a economia vai de vento em popa, crescendo 5% ao ano.

Daí, continuou com o lero-lero, mas mudou o tema para vacinação – segundo o devoto da cloroquina, o Brasil vai muito bem, obrigado, e ele sempre a apoiou – e Covid-19, repetindo o eterno mantra, culpando governadores e prefeitos pela inflação, e dizendo que ‘sente muito’ por todas as mortes. Então, tá, né?

Mas o ponto alto – ou seria o ponto baixo? – foi a defesa do tratamento precoce, a que chamou de tratamento inicial. Na boa, eu até entendo o discurso para o gado, a história de Deus, família, valores cristãos etc. Entendo também o blá blá blá sobre comunismo e imprensa. Mas, pô!, não dava para evitar curandeirismo na ONU?

O cara não usa máscara, não toma vacina (ao menos diz que não), condena o distanciamento social, ou seja, vai de encontro a absolutamente tudo o que ensinam a ciência e a medicina mundiais, e pretende convencer o mundo de que foi a garrafada milagrosa (cloroquina de Jesus + ivermectina santa) que o curou.

Eu duvido que algum chefe de Estado que se preze tenha prestado a mínima atenção no discurso do psicopata. Ainda assim, não será fácil assistir ao noticiário local e não morrer de vergonha do que irão comentar a respeito, nos principais canais de TV americanos. E dessa vez não terá o Trump para distrair a galera.

Mas se querem saber, até poderia ter sido pior. Confesso, inclusive, que esperava mais – neste caso, mais seria menos, hehe. O golpista homicida e chefe do Queiroga, aquele que mostra o dedo, está relativamente de parabéns! Não se comportou como um Presidente com P maiúsculo, mas não foi o que costuma ser.

Exigir de um ignorante semi-letrado algo mais, seria como pedir ao Lula, o meliante de São Bernardo, que parasse de mentir a respeito de sua honestidade e inocência. São paus que nasceram tortos. Mas uma coisa precisa ser melhorada e melhor trabalhada: alguém tem de ensinar o maridão da ‘Micheque’ a ler! Crianças alfabetizando são mais fluentes que esse ‘mito’ aí, talquei? Aff.

Saiba mais
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Chamada de atriz pornô, Yasmin Brunet irá processar mãe de Gabriel Medina
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio

Tópicos

Bolsonaro ONU

Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.