Economia

Até operadora em Angola está à venda

A estratégia da Oi é levantar entre R$ 6,5 bilhões e R$ 7,5 bilhões com a venda de negócios não estratégicos até 2021. No pacote, estão a participação da Oi na Unitel (operadora de Angola), torres, uma empresa de data center, além de imóveis, que já tinham sido oferecidos ao mercado no momento mais agudo da companhia.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

A expectativa da operadora é levantar cerca de US$ 1 bilhão com a venda de sua fatia na Unitel. Entre os potenciais compradores estão a empresária angolana Isabel dos Santos, filha do ex-presidente José Eduardo dos Santos, que é acionista da tele. Outra oferta poderá ser feita pela Sonangol, petroleira estatal angolana, também sócia da operadora. No mercado, contudo, esses desinvestimentos deverão demorar para serem concretizados.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Fotos de biquíni de Thaynara OG fazem sucesso e influenciadora revela: “Me sentia reprimida”

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

Tópicos

Oi