Economia

Até agora, mais de 80% do emprego veio de pequenas empresas, diz secretário

O secretário especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, disse nesta sexta-feira, 18, que mais de 80% do número de empregos gerados até agora em 2019 veio de pequenas empresas, tanto nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), quanto no levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua.

“Pequenas empresas vão ser o grande vetor de crescimento nos próximos anos”, disse o secretário, durante evento de divulgação do Ranking de Competitividade dos Estados, elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), na B3, em São Paulo.

Para ele, o Brasil vive uma “revolução silenciosa” com esses empreendimentos.

“Nós tivemos muito sucesso nos últimos em aumentar o número de pequenas empresas no Brasil. No entanto, a produtividade é muito baixa”, disse Costa, emendando que uma das prioridades da Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade é tornar as pequenas empresas mais produtivas e competitivas.

Costa afirmou, ainda, que “alguns trabalhadores por conta própria são parte da nova economia”, citando motoristas de Uber e faxineiras que trabalham por aplicativo. “É uma nova relação de trabalho, e é um emprego da melhor qualidade, porque é a pessoa sendo empresária de si mesma”, completou o secretário.

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Paçoquita vira sorvete de massa e pretende ser vendida nos EUA
+ Juliana Caetano, do Bonde do Forró, fala sobre proposta de 500 mil reais que recebeu
+ Uma Harley-Davidson com 360 diamantes e peças banhados a ouro, a moto mais cara do mundo
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior