MOSCOU, 24 JUN (ANSA) – Pelo menos 19 pessoas morreram, incluindo 15 policiais e quatro civis, em atentados terroristas contra duas igrejas ortodoxas, uma sinagoga e um posto de bloqueio das forças de segurança no Daguestão, na Rússia.   

O balanço foi divulgado nesta segunda-feira (24) pelo Comitê Investigativo russo, que diz que entre as vítimas estão o arcipreste de uma das igrejas, Nikolai Kotelnikov, que foi degolado, e seguranças privados da sinagoga.   

Os atentados ocorreram nas cidades de Derbent e Makhachkala, no último domingo (23), e pelo menos seis suspeitos foram mortos pela polícia, mas ainda não há informações precisas sobre a autoria.   

A suspeita principal, no entanto, recai sobre o terrorismo de matriz islâmica. Segundo o think tank americano Instituto para o Estudo da Guerra (ISW), o responsável pelos ataques pode ter sido o grupo Wilayat Kavkaz, braço do grupo Estado Islâmico no Cáucaso.   

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a sociedade russa está “absolutamente consolidada” e que não há o perigo de retorno à era do terrorismo islâmico vivida no início dos anos 2000 em algumas regiões do país, como o próprio Daguestão.   

(ANSA).