Mundo

Ataque talibã a ONG americana deixa ao menos cinco mortos no Afeganistão

Ataque talibã a ONG americana deixa ao menos cinco mortos no Afeganistão

Coluna de fumaça se ergue sobre o centro de Cabul, onde uma ONG americana foi atacada por talibãs, em 8 de maio de 2019 - AFP

O ataque realizado nesta quarta-feira (8) pelos talibãs contra a ONG americana Conterpart International, em Cabul, terminou após cinco horas, deixando cinco mortos, segundo um último balanço.

Os combates ocorreram em um momento em que os insurgentes mantêm há vários dias negociações de paz com os Estados Unidos em Doha (Catar).

“O ataque terrorista contra a agência de ajuda internacional terminou. Todos os agressores foram abatidos”, informou através de um comunicado o porta-voz do ministério do Interior, Nasrat Rahimi.

Quatro civis, incluindo uma mulher, e um policial morreram, enquanto que 24 pessoas ficaram feridas, entre elas um estrangeiro de nacionalidade até o momento desconhecida, acrescentou.

“Estamos em estreito contato com nossa equipe de segurança no local” para saber se membros da ONG morreram ou ficaram feridos, informou à AFP o serviço de comunicação da Counterpart International, situado nos Estados Unidos.

Uma forte explosão ocorreu por volta das 11H30 locais (04H30 de Brasília) no centro da capital afegã, numa área com muitos edifícios comercias, sedes de ONGs e um prédio das Nações Unidas.

A detonação ocorreu no prédio da Counterpart International, ao lado da sede da procuradoria-geral, informou Nastrat Rahimi, o porta-voz do ministério do Interior.

“Estava no meu escritório quando ouvi uma grande explosão, todas as janelas quebraram”, contou à AFP Akbar Khan Sahadat, um promotor que estava no local no momento do incidente.

“Saímos correndo do edifício e ouvi disparos de armas e explosões de granadas perto dali”, afirmou.

Segundo Rahimi “quatro agressores” armados e equipados com coletes explosivos entraram no prédio da ONG, antes da polícia isolar a área.

Cerca de 200 funcionários da Counterpart foram socorridos e perto dali foi encontrado um carro-bomba, acrescentou Rahimi.

Os talibãs reivindicaram o ataque, e seu porta-voz Zabihullah Mujahid acusou através da Twitter a ONG de estar envolvida em atividades “nocivas”.

“A Counterpart ativou um programa perigoso chamado Angel que pretende promover a diversidade entre os homens e as mulheres”, informou na postagem.

Segundo o site da Counterpart International, a organização foi fundada em 1965 pela atriz australiana Betty Bryant Silverstein e um sacerdote marista.

Financiada pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), a ONG dirige programas de desenvolvimento no mundo inteiro, e desde 2005 aplica no Afeganistão programas de apoio à sociedade civil.

– “Violência sem sentido” –

O embaixador dos Estados Unidos em Cabul, John Bass, condenou “o ataque dos talibãs contra uma ONG americana” que “ajuda as comunidades locais, forma jornalistas e apoia o povo afegão”.

“Por isto, é alvo de uma violência sem sentido”, postou.

A Missão das Nações Unidas no Afeganistão (Manua) condenou um “ataque particularmente lamentável, que atingiu civis que ajudam os afegãos” e durante o Ramadã. “Os civis não são um alvo”, divulgou no Twitter a Manua.

O ataque ocorreu no momento em que são realizados diálogos de paz com a participação dos Estados Unidos e os talibãs em Doha, que parecem emperrados na questão do calendário da retirada das forças americanas.

Antes de fixar este calendário, Washington quer abordar a questão do cessar-fogo e a abertura de um possível diálogo interafegão, mas os talibãs se negam a avançar nas negociações até que os Estados Unidos anunciem formalmente o calendário de retirada.