Mundo

Assassinato de jovem por atletas gera revolta na Argentina

BUENOS AIRES, 19 FEV (ANSA) – Milhares de pessoas se reuniram nesta terça-feira (18) em uma praça em frente ao Congresso argentino para exigir justiça diante do assassinato de um jovem por um grupo de jogadores de rúgbi em um resort em Villa Gesell.   

Há um mês, Fernando Báez Sosa, de 18 anos, foi espancado até a morte em frente a uma casa noturna pelos atletas, que deixaram o local após cometerem o crime. O grupo foi detido pela polícia horas depois. Os oito agressores foram acusados de homicídio duplamente qualificado e identificados como Máximo Thomsen (20 anos), Ciro Pertossi (19), Matías Benicelli (20), Ayrton Viollaz (20), Luciano Pertossi (18), Lucas Pertossi (20), Enzo Comelli (19) e Blas Cinalli (18).   

Logo após o crime, a imprensa da Argentina publicou algumas mensagens trocadas pelos criminosos no WhatsApp, nas quais demonstraram frieza e debateram álibis. “Espero que, depois de hoje, algo aconteça na cabeça das pessoas. Precisamos de pessoas que pedem justiça porque, se ninguém faz nada, tudo permanece o mesmo”, refletiu Juliet, a namorada do jovem morto. Com cartazes com a foto de Sosa e gritando “perpétua, perpétua” e “assassinos”, a multidão reunida em Buenos Aires para acompanhar os pais da vítima clamaram por justiça.   

O caso desencadeou também um debate sobre a violência na sociedade argentina e na cultura do rúgbi, esporte associado à jovens violentos, além da suposta falta de controle nos locais que jovens passam o verão, e sobre o uso de drogas e álcool. (ANSA)