Cultura

Asako i & II, o amor, o tempo e dois filmes em um

Hirokazu Kore-eda é um cineasta que impõe respeito, até aí, tudo bem, mas ele ganhou o Festival de Cannes, em maio, por um filme que não merecia a Palma de Ouro, Assunto de Família. Se o júri presidido por Cate Blanchett tivesse feito a coisa certa, a Palma teria ido para o outro japonês da competição, Ruysuke Hamaguchi.

Ao contrário de Kore-eda, veterano nas competições de Cannes, Hamaguchi fez sua estreia com Asako 1 e 2. São dois filmes com a duração standard de um. Acompanha essa garota que se apaixona e o amado um dia lhe diz que vai ali e já volta. Some, vira ídolo. Ela sofre, mas – surpresa! – surge outro caRA igualziinho, praticaqmente um clone, com quem ela passa a viver, feliz da vida. Só que o primeiro reaparece, e a crise está formada.

Embora jovem, na idade e até no estiulo, Hamaguchi já é considerado um grande, e um estudioso da alma humana. Seus filmes muitas vezes contam a mesma história por diferentes pontos de vista. Aqui é o tempo que ele esculpe. O tempo da juventude, e o da maturidade. Gestos, olhares, elipes. Os atores – Erika Karata e Masahiro Higashide – são excepcionais. E tem o gato, como voce vai ver.

Asako I & II

(Japão/2018, 119 min.) Dir. Ryusuke Hamaguchi. Com Masahiro Higashide, Erika Karata

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tópicos

Asako I & II cinema