ISTOÉ Gente

‘Às vezes, uma palavra de carinho vale mais que uma doação’, diz Letícia Spiller

Crédito: IstoÉ

A atriz Letícia Spiller participo de live da IstoÉ, na terça-feira, 15. Na conversa com o diretor de redação da revista, Germano Oliveira, e com a jornalista Camila Srougi, Spiller, que também é produtora, diretora, poetisa, dançarina, escritora, cantora e compositora brasileira, falou sobre filhos, família, comportamento e solidariedade.

Ao lado de Dienes e Mart’nália, ela lançou nesta semana o single “Pandeiro de Natal”. A música faz parte do projeto Natal para Todos, com renda revertida para a Acnur, agência da ONU para refugiados. “É um trabalho humanitário de extrema importância. Um trabalho de solidariedade”, diz.

Letícia conta que as histórias de luta dos imigrantes lhe provocaram a se mexer em defesa da vida e das pessoas, em especial das mulheres que batalham para fugir de países como a Venezuela. “Desejava fazer algo a mais. As pessoas precisam de amor, carinho e alegria”, diz.

Na troca de ideias, ela falou sobre a ligação com a música e trabalhos, como o que ela e Dienis produziram: “A Gente Pode Ser Feliz”, com a premiada cantora Cristina Mel, estrela da música gospel no Brasil. “Há dez anos a música está mais latente na minha vida.”

Aos 47 anos, Letícia, que é companheira do músico e compositor Pablo Vares, contou sobre a vida em família na quarentena, cuidados com os filhos, o corpo e a mente. “Quando a gente é mãe, pai, a gente se liberta do ego.”


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Ela revelou que, para manter tudo em equilíbrio e a beleza juvenil, pratica “os ritos tibetanos todas as manhãs em jejum”. A prática é composta por uma série de exercícios simples, também conhecidos como os rituais da eterna juventude. Eles ajudam a manter o corpo ágil e flexível, tendo ainda um efeito benéfico sobre a mente. “Sou muito física. Gosto de me cuidar.”

A atriz falou da sociedade conectada em redes virtuais e criticou as pessoas que se julgam livres para julgarem os demais, aconselhou as pessoas a terem cuidados e deu uma dica sobre as redes sociais: “Todos deviam ver o documentário ‘o Dilema da redes”.

Esse documentário da Netflix desnuda o funcionamento dos aplicativos, a desinformação, o discurso de ódio, a polarização política e as teorias da conspiração e como esses problemas, “anabolisados” pelas empresas, se intensificam nas redes sociais.

No bate-papo, Letícia termina defendendo a defesa do meio ambiente e do Próximo. “Às vezes, uma palavra de carinho vale mais que uma doação”, conclui.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel