Cultura

Artistas sírios usam pokémons para denunciar horrores da guerra

Artistas sírios usam pokémons para denunciar horrores da guerra

Jornalista mostra a montagem feita por um artista sírio - AFP

Para sensibilizar o mundo sobre os horrores da guerra, artistas sírios têm reinterpretado as imagens do conflito com pokémons chorando entre ruínas ou ao lado de extremistas, inspirados no famoso jogo Pokémon Go.

Este é o caso das fotos que mostram crianças sírias com um cartaz com uma das criaturas imaginárias e uma mensagem pedindo ajuda para que as salvem desta guerra que deixou mais de 280.000 mortos e que causou o êxodo de mais de metade da população.

“Eu sou de Kafranbel, salvem-me”, diz um dos cartazes com o Pikachu. Esta cidade, localizada em Idleb (noroeste), uma província nas mãos da facção síria da Al-Qaeda e seus aliados rebeldes, tem sido alvo frequente de bombardeios do regime sírio e de seu aliado russo.

Já o jovem web designer sírio Saif Aldeen Tahhan, que reside na Dinamarca, criou imagens onde, ao invés de personagens como Pikachu, um urso de pelúcia aparece perto de um corpo sem vida, um livro em uma sala de aula destruída por bombas ou um salva-vidas flutuando perto de um barco inflável cheio de refugiados.

“Espero que a mensagem alcance o mundo inteiro e os sírios possam encontrar segurança”, escreveu em sua página no Facebook.

Nesta sexta-feira, o artista e fotógrafo sírio Khaled Akil publicou em seu blog fotografias modificadas onde um Charizard aparece sobre um taque dos extremistas do Estado Islâmico (EI) e um Pikachu, triste, perto de um carro queimado.

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel