Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

A investigação francesa sobre a explosão ocorrida em dezembro passado em um veículo do Rali Dacar-2022, realizado na Arábia Saudita, concluiu que ela foi causada por um “artefato explosivo improvisado” – disse uma fonte ligada ao caso, nesta sexta-feira (11).

Segundo a fonte, que confirma informações da rádio RTL, a Procuradoria Antiterrorista francesa (PNAT) viajou para o país do Golfo junto com investigadores dos serviços de Inteligência franceses e da polícia científica, que puderam examinar o veículo.

Em 30 de dezembro, em Jidá (centro-oeste da Arábia Saudita), um veículo ocupado por cinco franceses foi atingido por uma explosão. As autoridades sauditas falaram então de um “acidente” e descartaram um ato malicioso.

No início de janeiro, porém, o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, considerou que, “talvez tenha havido um atentado terrorista no Dacar” e pediu às autoridades sauditas que mostrassem “maior transparência”.

A Procuradoria Antiterrorista francesa abriu uma investigação por “tentativa de assassinato com fins terroristas” por este evento, no qual o piloto Philippe Boutron, de 61 anos, ficou gravemente ferido e foi transferido, com urgência, para seu país.

“Não sei quando, exatamente, poderei voltar a andar, mas minhas pernas foram salvas, e isso é o essencial”, anunciou Boutron, no final de janeiro, na rádio France Bleu Orleans.

edy-tjc/bl/tt