Economia

Argentina pode elevar limite de exportação de milho para 35 mi t, diz fonte

Argentina pode elevar limite de exportação de milho para 35 mi t, diz fonte

Lavoura de milho

Por Maximilian Heath

BUENOS AIRES (Reuters) – A Argentina, segundo maior exportador de milho do mundo, pode elevar o limite de exportação do grão para 35 milhões de toneladas na safra 2021/22, de 30 milhões de toneladas atualmente, afirmou uma fonte do Ministério da Agricultura à Reuters nesta quinta-feira.

O país sul-americano, em plena safra de milho, havia limitado as exportações para o ciclo atual a 25 milhões de toneladas em dezembro, ante 41,6 milhões de toneladas na temporada anterior, na esperança de conter a inflação. Depois, no início de maio, elevou o limite para o nível atual.

“Estamos à espera da colheita do milho tardio, que é o que é semeado por último, com a expectativa de que haja 35 milhões” de toneladas do grão autorizadas para exportação, disse a fonte com conhecimento direto dos planos.

A Argentina, também o exportador número 1 de soja processada e um grande player global em trigo e carne bovina, está lutando contra a inflação doméstica de alimentos, já que os preços globais das commodities subiram devido à guerra na Ucrânia.

A colheita de milho 2021/22 do país, incluindo grãos que não devem ser comercializados, é estimada em 57 milhões de toneladas, mostram dados do governo. A colheita está 44% concluída.

A bolsa de Cereais de Buenos Aires prevê uma produção de milho para uso comercial em 49 milhões de toneladas.

Os exportadores fizeram declarações de vendas de milho 2021/22 de 27 milhões de toneladas até agora, mostram dados do Ministério da Agricultura.

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI4I10G-BASEIMAGE