São Paulo, 28 – A Bolsa de Cereais de Buenos Aires elevou em 500 mil toneladas sua estimativa para a produção argentina de soja em 2020/21, para 43,5 milhões de toneladas. O ajuste foi motivado por rendimentos acima da expectativa na província de Córdoba e no centro-norte de Santa Fé, disse a Bolsa em relatório semanal.

A colheita de soja atingiu 91,4% da área semeada, um avanço de 6 pontos porcentuais na semana. Segundo a Bolsa, foram colhidos até agora 40,7 milhões de toneladas, com rendimento médio nacional de 2,72 toneladas por hectare.

A parcela da safra de soja em condição boa ou excelente aumentou de 8% para 9% na semana, disse a Bolsa. A parcela em condição regular ou ruim diminuiu de 30% para 29%.

A colheita de milho alcançou 30,9% da área plantada, um avanço de 3,3 pontos porcentuais ante a semana anterior. Segundo a Bolsa, produtores estão dando prioridade à colheita de soja. Além disso, a elevada umidade dos grãos impede um avanço mais significativo dos trabalhos. O rendimento médio nacional está em 8,5 toneladas por hectare. A projeção para a safra foi mantida em 46 milhões de toneladas, 5,5 milhões de toneladas menor que a temporada 2019/20.

De acordo com a Bolsa, a parcela da safra de milho em condição boa ou excelente aumentou de 47% para 51% na semana. A parcela em condição regular ou ruim diminuiu de 13% para 11%.

A Bolsa informou também que o plantio de trigo da safra 2021/22 alcançou 10,1% da área total prevista, de 6,5 milhões de hectares. O avanço na semana foi de 6,6 pontos porcentuais. Na comparação com um ano antes, há atraso de 3,3 pontos porcentuais, principalmente por causa de excesso hídrico em alguns setores no centro e no sul da área agrícola, disse a Bolsa.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias