Edição nº2552 15/11 Ver edições anteriores

Rumores indicam que próximo iPhone pode ter reconhecimento facial

Programadores teriam descoberto pistas do novo aparelho ao investigar o software do Apple HomePod

iPhone 7 deve ser substituído em breve por novo lançamento da Apple

Setembro está chegando e, com ele, começam os rumores sobre a nova versão do iPhone. A Apple ainda não anunciou a data de nenhum evento, mas, nos últimos anos, novos iPhones sempre foram lançados entre setembro e outubro.

Os rumores da vez sobre o novo iPhone dão conta de que o aparelho teria uma tela que cobriria quase toda a parte frontal, além de um recurso de detecção de faces. Conforme noticiou o Ars Technica, os boatos começaram depois que dois programadores, Steve Troughton-Smith e Guilherme Rambo, descobriram indícios do novo iPhone no software do Apple HomePod, caixa de som inteligente da Apple que começará a ser vendida em setembro.

Ícone indica que novo iPhone pode não ter o tradicional botão na parte inferior

Segundo os programadores, o software do Apple HomePod inclui referências a um novo smarphone e a recursos de detecção de faces por meio de raios infravermelhos.

Os programadores encontraram ainda um ícone de smartphone. O ícone mostra um aparelho sem o tradicional botão redondo na parte frontal, que é praticamente toda ocupada pela tela.

Esses indícios indicariam que o iPhone teria um sistema de detecção de faces e uma tela que ocuparia praticamente toda a parte frontal do aparelho.

O espaço cada vez maior para a tela tem sido uma tendência no mercado de smartphones. LG G6 e Galaxy S8 são exemplos de smartphones em que a tela ocupa praticamente toda a frente do aparelho. A tecnologia de reconhecimento facial também já está presente em outros smartphones mais sofisticados.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.