Tecnologia & Meio ambiente

Após um mês ocupando um túnel clandestino em Londres, ambientalistas são removidos

Após um mês ocupando um túnel clandestino em Londres, ambientalistas são removidos

Uma recente foto sem data divulgada pela HS2 Rebellion em 4 de fevereiro de 2021 mostra a ativista britânica Blue Sandford em um túnel sob Euston Square Gardens, perto da Estação Euston, em Londres - HS2 REBELLION/AFP


O último manifestante ambientalista que restava preso em um túnel clandestino escavado em pleno centro de Londres para protestar contra a construção da linha de trem de alta velocidade HS2 foi removido nesta sexta-feira (26) após um mês de ocupação, anunciou a empresa responsável pelo projeto polêmico.

“A HS2 recuperou agora a plena posse dos jardins da Euston Square após remover as nove pessoas que entraram ilegalmente nos túneis subterrâneos” escavados sob eles, informou em nota.

Segundo a agência de notícias britânica PA, o último manifestante foi levado na ambulância, sob os aplausos de uma multidão que gritava “nós te amamos, Bradley”.

A multidão viu apena os dedos do ativista, que formavam o sinal da “paz” ou “v” da vitória.

Cerca de dez ambientalistas se trancaram em 26 de janeiro em um longo e estreito túnel escavado junto à estação de Euston, onde as obras da HS2 estão sendo realizadas, para protestar contra a construção desta linha de alta velocidade que deve conectar a capital com o centro e o norte da Inglaterra.


+ Homem que vivia ‘casado’ com a própria filha é preso após polícia investigar agressão contra criança
+ Família de Schumacher coloca mansão à venda por R$ 400 milhões
+ Pão de Queijo: faça uma das receitas mais gostosas do Brasil



Em fevereiro de 2020, o primeiro-ministro Boris Johnson aprovou o projeto High Speed Two (HS2) apesar de seu custo astronômico, que poderia superar as 100 bilhões de libras (137 bilhões de dólares, 112 bilhões de euros) e da oposição de uma parte da classe política, que pede para investir o dinheiro na modernização das linhas regionais já existentes.

Essa será a segunda linha de alta velocidade em todo o Reino Unido depois da HS1, usada pelo Eurostar que une Londres com a França, Bélgica e Holanda.

Para os críticos da HS2, o projeto destruirá florestas antigas e prejudicará os esforços do país para cumprir seus objetivos climáticos.

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS