Esportes

Após testar positivo para doping, Kamila Valieva é liberada a continuar em Pequim


Após testar positivo no final de dezembro para uma substância proibida, a jovem patinadora artística russa Kamila Valieva, de 15 anos, foi autorizada nesta segunda-feira a continuar competindo nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022, na China. Nesta terça, ela participará do evento individual.

“Impedir que a atleta participe dos Jogos causaria um prejuízo irreparável a ela”, analisaram os três árbitros da Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), que explicaram que a sua pouca idade (menos de 16 anos) implica em regras específicas de testes e sanções menos duras.

Valieva havia testado positivo para trimetazidina, um medicamento para tratamento de angina de peito, detectada após um controle em 25 de dezembro em campeonato no seu país. O resultado só foi conhecido em 8 de fevereiro, um dia depois de conquistar o ouro nos Jogos de Inverno.

Com a decisão, a jovem prodígio poderá participar da prova individual de patinação artística, competição que é vista como uma possibilidade de mais um ouro para a Rússia. Porém, nada impede que os resultados desses Jogos sejam anulados no futuro.

A patinadora é uma das atletas mais jovens a enfrentar uma acusação de doping durante as Olimpíadas, provocando indignação global em relação ao papel dos adultos em torno da adolescente e aos contínuos casos de doping da Rússia em competições internacionais.

“Os atletas têm o direito de saber que lutam nas mesmas condições. Infelizmente, esse direito foi negado hoje. Este parece ser mais um capítulo de desrespeito sistemático e generalizado ao esporte limpo por parte da Rússia”, disse a CEO do Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC, na sigla em inglês), Sarah Hirshland, em comunicado divulgado após a decisão da CAS.

A adolescente foi para o gelo meia hora após a decisão, praticando com seus companheiros de equipe do Comitê Olímpico Russo antes das individuais marcadas para esta semana.

Valieva se tornou a primeira patinadora a alcançar os primeiros saltos quádruplos na história olímpica na competição por equipes. Agora, Kamila tem apenas 24 horas para se concentrar na competição mais importante de sua carreira, depois de vários dias permeados pela incerteza da sua continuação nos Jogos.