Geral

Após restrições em razão da neblina, Aeroporto de Congonhas volta a operar

O Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, voltou a operar nesta quarta-feira, 15, com o auxílio de instrumentos em razão das condições meteorológicas da cidade. No início da manhã, a neblina prejudicava a visibilidade e provocou restrições para pousos. As decolagens eram realizadas normalmente.

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), dos 59 voos programados, há 32 atrasados e 9 cancelados.

O Aeroporto Internacional de Guarulhos/Cumbica, na Grande São Paulo, também opera com o auxílio de instrumentos.

+ “Filho é um inferno e atrapalha”, diz Fábio Porchat sobre não querer ser pai

Clima

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE), a capital paulista terá predomínio de céu nublado, mas sem previsão de chuva.

A passagem rápida de uma fraca frente fria muda a direção do vento, que passa a soprar do sudeste.

+ Polícia aborda ambulância com sirene ligada e descobre 1,5 tonelada de maconha

Essa condição favorece a umidade e o aumento da nebulosidade.

A temperatura mínima deve ficar em torno dos 13°C e a máxima não supera os 19°C, com índices de umidade do ar entre 61% e 95%.

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela
+ Novo Código de Trânsito é aprovado; veja o que mudou
+Jovem é atropelado 2 vezes ao tentar separar briga de casal em Londrina; veja o vídeo
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel
+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês
+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Educar é mais importante do que colecionar
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea