Esportes

Após reação, Goiás recebe o Corinthians com a meta de se aproximar do G6

O Goiás reagiu rápido após a derrota por 3 a 1 para o Botafogo e se reabilitou logo no jogo seguinte, ao bater o CSA por 1 a 0, no estádio Serra Dourada, onde voltará a jogar nesta quarta-feira. A segunda partida seguida em casa será diante do quarto colocado Corinthians, em jogo marcado para as 21h30, pela 26.ª rodada.

Dono da segunda melhor campanha do returno, com 15 pontos somados, apenas um a menos do que o Flamengo, o Goiás vem se permitindo sonhar com uma vaga no G6, a zona de classificação à Copa Libertadores, apesar de saber das dificuldades. O time está em nono lugar, com 36 pontos, e tem ao seu favor o fato de que o sexto colocado Grêmio, com 41, e o oitavo Bahia, com 38, fazem um duelo direto, também nesta quarta-feira.

“Sabemos que será mais um jogo dificílimo, contra um time que tem todas as condições de terminar entre os quatro melhores e, para conseguir um resultado positivo, teremos de atuar muito bem. O Corinthians tem números defensivos espetaculares. Em cima disso teremos que ser competentes nas poucas oportunidades que tivermos nos jogos”, avaliou o treinador Ney Franco.

Conforme o indicado pelo técnico, o Goiás deve ter apenas uma mudança para o duelo contra os corintianos. De volta após cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo, o meio-campista Léo Sena retoma sua posição de titular no lugar de Thalles.

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior