Geral

Após morte por ômicron, Queiroga diz que é preciso aguardar evolução de casos

Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

Após a confirmação da primeira morte pela variante ômicron no país, nesta quinta-feira (6), de um homem de 68 anos, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que há preocupação no aumento do número de casos, mas que é preciso aguardar para maiores conclusões, e que nada muda na estratégia da pasta.

“É uma variante de preocupação, mas não muda [a estratégia]”, disse Queiroga à colunista Carla Araújo, do UOL.

O ministro disse que, nos países com alto percentual da população vacinada, a nova variante tem causado “pouco impacto nas hospitalizações e óbitos”. “Vamos aguardar a evolução dos casos”, disse Queiroga.

A primeira vítima fatal da ômicron no Brasil era um homem de 68 anos, portador de doença pulmonar obstrutiva crônica e hipertensão arterial. Seu óbito foi informado pela Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia (GO).

Segundo comunicado da secretaria, o paciente estava internado em uma unidade hospitalar e havia tido contato com uma pessoa já confirmada com infecção pela variante. Ele havia sido vacinado com três doses de vacina.

*Com informações da Reuters.