Esportes

Após empate, Rogério Ceni critica arbitragem e explica opção por Renê: ‘Experiência e boa recomposição’

Na estreia como treinador na Liberta, Ceni não poupa críticas ao árbitro Alexis Herrera

Após empate, Rogério Ceni critica arbitragem e explica opção por Renê: ‘Experiência e boa recomposição’

Na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, nesta terça-feira, Flamengo e Racing empataram por 1 a 1, na Argentina. Com o resultado, o Rubro-Negro tem a vantagem do 0 a 0 no Maracanã, na próxima semana, para sair com a classificação por conta do gol fora de casa.

Em entrevista coletiva após o jogo, Rogério Ceni falou sobre o desafio de treinar em meio à intensa sequência de jogos desde que chegou ao Flamengo, há duas semanas atrás. Ao comentar sobre a partida, o treinador também criticou a arbitragem comandada pelo venezuelano Alexis Herrera.

+ Confira o chaveamento da Libertadores

– É o conjunto, o sistema. Estou aqui há duas semanas e esse já é o quarto, quinto jogo em pouco tempo. Vamos tentar melhorar o time. A arbitragem foi desastrosa. Foram faltas inexplicáveis. Vivo a Libertadores desde 1992 e nunca vi com dois pesos e duas medidas


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Além disso, o treinador comentou sobre a escolha do substituto de Isla, que sentiu desconforto muscular no aquecimento e não foi a campo. Ao invés de usar Matheuzinho, reserva imediato, Ceni optou por escalar o canhoto Renê improvisado na posição.

– O Matheuzinho era um ponta com ofensividade. O Renê já jogou pela lateral-direita, o que me deu embasamento. Claro que foi uma decisão muito repentina. O Isla não teve uma lesão, mas foi uma contratura. Decidi pelo Renê pela experiência e pela boa recomposição defensiva.

Flamengo e Racing se enfrentam novamente na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã. O Rubro-Negro se classifica às quartas de final em caso de vitória ou empate sem gols. Os argentinos avançam com um triunfo simples ou empate por dois ou mais gols.

Confira outros trechos da coletiva de Rogério Ceni:

LESÕES EM SEQUÊNCIA
– O acumulo de jogos, o cansaço, tudo isso faz diferença. Há três meses não tínhamos uma formação com Arrascaeta, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol. É preciso uma análise mais generalizada sobre isso.

FALHAS DEFENSIVAS
– Quando você tem jogadores talentosos na frente é natural as falhas maiores no setor defensivo. Não vou apontar um jogador ou outro, nós temos que ter tempo para treinar. Nós não tivemos praticamente treino.

POSTURA DO FLAMENGO
– O Flamengo joga sempre com a postura de tentar atacar. É uma sequência forte de jogos. É natural que o Racing também tenha bons momentos. O Flamengo não vai dominar a partida toda.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Carla Perez fala sobre vida nos EUA: “Aqui é vida normal”
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel