O Dia

Após censura a edital com temática LGBT, Henrique Pires deixa Secretaria de Cultura

Segundo nota do Ministério da Cidadania, secretário especial foi exonerado porque 'não estava desempenhando as políticas propostas pela pasta'

Crédito: Clarice Castro/Ministério da Cidadania
Brasília – Henrique Pires deixou seu cargo como secretário especial de Cultura nesta quarta-feira. Segundo informações antecipadas pelo site GaúchaZH, ele teria deixado o cargo para não consentir à censura, após a suspensão de um edital para séries com temática LGBT.
Segundo nota enviada à imprensa pelo Ministério da Cidadania, Henrique Pires foi exonerado porque “não estava desempenhando as políticas propostas pela pasta”.
Em seu lugar, vai assumir o secretário-adjunto e secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, José Paulo Soares Martins.
O edital censurado havia sido aberto em março, com um orçamento total de R$ 70 milhões, provenientes do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), gerido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), destinados a séries com temática LGBT.
A portaria suspendendo o edital foi publicada nesta quarta-feira, após o presidente Jair Bolsonaro criticar o financiamento a produções de temática inclusiva em uma transmissão ao vivo no seu Facebook. “Se Ancine não tivesse cabeça toda com mandato, já tinha degolado todo mundo”, ameaçou o presidente, na transmissão.