Esportes

Após atuação ‘matadora’, Pia projeta evolução da seleção brasileira feminina

Após atuações mornas e abaixo do esperado, a seleção brasileira feminina de futebol venceu a primeira do ano na segunda-feira. Satisfeita com o bom desempenho, mesmo sem poder contar com a atacante Marta, a técnica Pia Sundhage projetou evolução da equipe, que agora visa a disputa da Copa América, em julho.

“Somos pacientes com a performance das jogadoras. No entanto, pedimos que sigam tentando, especialmente, as novas jogadoras. Essa é uma nova situação para elas e precisamos sermos pacientes. Se elas tentarem algo diferente ou se tentarem fazer mais um pouco, elas sempre voltarão e terão sucesso no que estarão construindo aqui, seja no próximo mês, talvez no próximo ano ou daqui dois ou três anos. O futuro será brilhante, disso não tenha dúvidas”, comentou.


A seleção não vencia desde setembro do ano passado, quando aplicou 4 a 1 na Argentina em amistoso. Desde então, foram seis partidas sem vitórias, até o triunfo sobre a Hungria por 3 a 1, na segunda, em amistoso realizado na Espanha. Neste período, o Brasil foi derrotado por Austrália e França e acumulou empates com a mesma Austrália, Holanda, Finlândia e Espanha.

Em comum em todos estes jogos foi o desempenho abaixo do esperado no ataque. Em seu quinto jogo neste ano, a seleção marcou mais de um gol pela primeira vez, diante das húngaras. “É importante marcar gols, claro, e a gente marcou de três formas diferentes. Estou feliz por isso, porque falamos sobre escanteios, jogadas na área, arriscar de fora da área e também das corridas pelos corredores com cruzamentos na área, como a Gabi Nunes em um dos gols converteu, essa é uma ação matadora”, exaltou a experiente treinadora.

Pia também se mostrou satisfeita com as novas jogadoras que entraram em campo na Espanha. A defensora Thais Regina fez sua estreia, enquanto Fernanda Palermo começou entre as titulares. Outras novatas foram Ingryd, Thaís F., Gabi Portilho e Ana Vitória.

“Estou feliz com todas as novas jogadoras, se você olhar a escalação inicial, não tivemos a Debinha e a Bia, as duas que têm muitos jogos pela seleção. Se você considerar o número de jogos, nenhuma delas que começaram jogando são muito experientes. Estou muito feliz porque tanto as jogadoras que começaram jogando, quanto as que entraram ao longo da partida foram muito bem. A Thais Regina fez o seu primeiro jogo e jogar da maneira que ela jogou, ao lado da Tainara e da Antonia, eu considero que foi muito bem.”

Antes de estrear na Copa América, o Brasil fará mais um amistoso de preparação, contra a poderosa Suécia no dia 28 de junho, em Estocolmo. Novamente, Pia não terá Marta. A atacante sofreu lesão no joelho e pode desfalcar a equipe também na competição sul-americana, a ser disputada na Colômbia entre os dias 8 e 30 de julho.