Brasil

Aos amigos, tudo

Bolsonaro premia setores e categorias por interesse eleitoral ou mero corporativismo. Agora é a vez das igrejas evangélicas receberem R$ 1 bilhão

Crédito: Divulgação

PRIVILÉGIO R. R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus, e seu filho, o deputado David Soares, autor do projeto de anistia (Crédito: Divulgação)

Uma das bases da democracia americana, a mais longeva da história, é o equilíbrio entre direitos e deveres para todos os cidadãos. Isso garante o desenvolvimento e distribui a riqueza. No Brasil, ao contrário, o atraso e a desigualdade secular são sustentados pelo aparelhamento do Estado, colocado a serviço de grupos de interesse e setores privilegiados. O governo Bolsonaro é um exemplo cristalino e torpe das consequências desse patrimonialismo nacional. A recém-anunciada benesse para igrejas evangélicas, aprovada no Congresso e aguardando sanção presidencial, é exemplar. A medida anistia R$ 1 bilhão em dívidas com a Receita Federal. Bolsonaro já disse à bancada evangélica que apoia a iniciativa, mas afirmou que vai vetar parte do perdão para não incorrer em crime de responsabilidade. Isso não o isenta. O projeto tem as suas digitais. Os evangélicos são uma base de sustentação fundamental para seu governo, e se uniram desde a campanha. O bispo Edir Macedo passou a apoiar Bolsonaro uma semana antes do primeiro turno. Na mesma ocasião, Bolsonaro recebeu o apoio de vários líderes da comunidade. O pastor Magno Malta chegou a ser cotado como seu vice.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Câmara dos deputados

A emenda, que anula dívidas acumuladas após fiscalizações e multas aplicadas pela Receita, foi apresentada pelo deputado David Soares (DEM), filho do missionário R. R. Soares. Quinze dias antes, o parlamentar havia se reunido para tratar do assunto com Bolsonaro e o secretário especial da Receita, José Barroso Tostes Neto. A aprovação, folgada, teve 345 votos. Entre os apoiadores estão os deputados-pastores Silas Câmara (Republicanos), Marcos Pereira (Republicanos), e Marco Feliciano (Republicanos). Os religiosos não foram os únicos a endossar o projeto. O PCdoB votou unanimemente pela ajuda aos evangélicos. A anistia é especialmente imoral porque favorece instituições que já são agraciadas, por lei, com imunidade no pagamentos de impostos. As igrejas são alvos de autuações por driblarem a legislação e distribuírem lucros e outras remunerações a seus principais dirigentes sem efetuar o devido recolhimento de tributos.

Benefícios em série

Outros setores também têm sido beneficiados. Os militares já foram protegidos durante a Reforma da Previdência por interferência direta de Bolsonaro. Além de escaparem das regras mais rígidas aplicadas à população, ganharam aumentos. O Ministério da Defesa foi amplamente beneficiado no atual Orçamento, em contraste com a Saúde e a Educação. Na proposta incompleta de Reforma Administrativa encaminhada recentemente pelo governo ao Congresso, o presidente deixou claro que os atuais servidores não serão atingidos. Eles têm estabilidade e salários garantidos, ao contrário de todos os trabalhadores do País, e consomem mais de 10% do PIB. Essa rede de privilégios é garantida e estimulada pelo mandatário, que é investigado por tentar interferir na Polícia Federal para beneficiar a própria família em inquéritos que apuram desvios de dinheiro público. Todo esse desequilíbrio será, espera-se, enfrentado pela sociedade em algum momento. Enquanto isso, Bolsonaro garante o seu privilégio e o dos amigos.

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea