Esportes

Aos 15 anos, Cori Gauff quer o título de Wimbledon

De promissora jogadora nos juniores a nova estrela ascendente do tênis feminino. A americana Cori Gauff, de 15 anos, teve dificuldades para acreditar que tinha acabado de derrotar a pentacampeã Venus Williams, mas, recuperada do baque, não escondeu a ambição de ganhar Wimbledon.

Cori Gauff, ou Coco, como prefere ser chamada, é a jogadora mais jovem a disputar a chave principal do Grand Slam britânico, depois de ter vencido o título de juniores de Roland Garros no ano passado, aos 14 anos.

A chance de jogar em Wimbledon veio após convite da organização para disputar o qualifying e, enquanto lutava pela sobrevivência em quadra, também passava por provas do segundo grau de sua escola na Flórida. E tudo isso sem perder um só set.

No fim da tarde de segunda-feira, quando os torcedores ainda se recuperavam das precoces eliminações de favoritos como Naomi Osaka ou Stefanos Tsitsipas, a jovem americana despachava com um duplo 6-4 a compatriota Venus Williams, 24 anos mais velha e que já tinha conquistado dois de seus cinco títulos em Wimbledon antes de Gauff ter nascido.

A vitória tornou Gauff uma sensação mundial, mas, para quem já a conhecia, o feito não foi de fato uma surpresa.

“Gauff não é só madura fisicamente, mas também mentalmente”, considerou o lendário John McEnroe.

Ao fim da partida a adolescente chorou. Depois, recuperada das fortes emoções, admitiu à imprensa suas ambições: “Meu objetivo é ganhar” Wimbledon, afirmou. “Já falei no passado: quero ser a melhor”, completou, considerando que a vida é curta demais para se perder tempo.

– Mudar o mundo com uma raquete –

Gauff sempre agradeceu aos pais por apoiá-la em seu sonho e lhe dar confiança. Seu pai é também seu técnico e nunca deixou de acreditar na filha.

“Meu pai me disse que eu poderia fazer isso quando eu tinha oito anos. Ainda não tenho 100% de confiança, mas nunca se sabe o que pode acontecer”, explicou a jovem.

Apesar dos sonhos de estrelato, Gauff aprendeu com a família a manter os pés no chão e não esquecer o mundo real e os problemas sociais.

“Sempre falei isso, desde que começamos com isso, que ela poderia mudar o mundo com sua raquete”, explicou o pai da tenista ao jornal The New York Times.

Assim, na conta do Instagram da tenista é possível ver publicações em que ela comemora, por exemplo, a abolição da escravidão.

Fora das quadras, a adolescente afirma admirar as cantoras Rihanna e Beyoncé. No tênis, Venus e a irmã Serena sempre foram as grandes inspirações para Gauff, embora a jovem não tenha deixado isso atrapalhar sua concentração na hora de enfrentar a experiente campeã em Wimbledon.

“Acho que o céu é o limte” para Gauff, elogiou a própria Venus após a derrota, antes de dar alguns conselhos para a jovem tenista: “Divirta-se, aproveite a vida, é tudo que se pode fazer”.

E, por enquanto, é exatamente isso que Coco faz, sem levar as coisas muito a sério. “Sempre estou contando piadas, fazendo brincadeiras”, garante.

A jovem ainda acha graça quando os fãs lhe pedem uma selfie. “Os profissionais que estão aqui há muito tempo ficam sérios, mas eu não consigo evitar de rir, porque seria estranho alguém tirar uma foto minha e eu não sorrir”.

bur-acc/pm/am

Tópicos

ATP GBR tênis USA WTA