Geral

Anvisa/Mendes: após informações podemos eventualmente retomar testes de vacina –

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) condicionou a continuidade dos testes da vacina Coronavac contra a covid-19 à confirmação sobre a segurança do produto. O órgão suspendeu na segunda-feira, 9, o desenvolvimento do imunizante, produzido pelo Instituto Butantã em parceria com um laboratório chinês.

A Anvisa evitou estabelecer um prazo para reavaliar a decisão. De acordo com o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da agência, Gustavo Mendes, é preciso confirmar que não há causalidade entre a vacina e “o evento adverso grave não esperado” verificado em um voluntário dos testes. Conforme apuração do Estadão, suicídio foi a causa provável da morte do voluntário.

A Anvisa alegou que, ao informar um evento grave nos testes, o Instituto Butantã enviou informações incompletas sobre a ocorrência e que, diante de um evento grave não esperado, o protocolo técnico correto é suspender os trabalhos até o detalhamento dos dados. “Tão logo as informações sejam canalizadas corretamente, elas serão analisadas”, disse o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres. O diretor reforçou compromisso da agência com o desenvolvimento das vacinas testadas atualmente.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ Modelo e atriz italiana paga promessa e posta foto ‘só de máscara’ após vitória da Lazio
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel