Anitta, que está em turnê nos Estados Unidos, participou do podcast “On Purpose with Jay Shetty”, onde falou sobre carreira e vida pessoal. Na ocasião, a artista falou sobre a criação de sua persona de sucesso.

+ Whindersson Nunes relata abuso e desabafa sobre saúde mental: ‘Não encontrei a felicidade plena’

“A Anitta é tipo uma superheroína. Essa é a Anitta. É aquela que vai lá, fala com as pessoas, nada de ruim acontece com ela, ela é a melhor, a maioral e faz o que quer. Quando me tornei cantora, coloquei esse personagem na vida real”, declarou ela, que atualmente sabe separar a Larissa Machado (seu verdadeiro nome, como ela é na vida pessoal) da persona famosa.

“O problema foi que eu estava trabalhando tanto como Anitta, que comecei a acreditar que eu era só aquilo. Parei de valorizar o que eu era como Larissa, porque eu era insegura, um ser humano normal que tem sentimentos normais, que pode estar triste, que pode estar machucada, que pode estar tudo isso”, desabafou.

Segundo ela, a criação de Anitta veio após sofrer um abuso na adolescência. “Quando isso aconteceu na minha adolescência, eu criei a Anitta. Foi nesse momento de dor e tristeza. Pensei que se eu fosse a poderosa, então nenhum outro cara faria aquilo de novo comigo.”

“Eu tive que falar sobre isso, porque estava com medo de uma pessoa no Brasil, que aparentemente descobriu, eu não sei como. E eu não queria que meu segredo mais profundo fosse espalhado por uma pessoa que não fosse eu mesma“, declarou a artista.