Mundo

Amsterdã quer proibir turistas estrangeiros de comprar maconha na cidade

Femke Halsema, prefeita de Amsterdã, na Holanda, quer impedir os visitantes estrangeiros de comprar maconha na cidade. Haselma explica que um terço dos turistas de fora visitariam o país com menos frequência se fossem impedidos de comprar cannabis nas cafeterias, conforme matéria do jornal britânico The Guardian.

A prefeita quer apoio político para reduzir os pontos de venda da cannabis, principalmente no superlotado distrito da Luz Vermelha. Amsterdã é o lar de 1,1 milhão de pessoas e recebe cerca de 17 milhões de visitantes por ano.

Um estudo do escritório de pesquisa, informação e estatística de Amsterdã apontou que entre os entrevistados de todas as nacionalidades, 40% disseram que não usariam mais “haxixe ou maconha” em suas visitas se tal proibição fosse aplicada.

Apesar da autorização para a venda da maconha nos cafés, a produção da droga é ilegal. Com isso, algumas cafeterias costumam negociar “nos fundos” com gangues do crime organizado.

Halsema se pronunciou por meio de uma carta e disse que seu objetivo é fazer “um estudo este ano para reduzir a atração dos turistas pela cannabis e a regulamentação (local) da porta dos fundos… Uma clara separação de mercados entre drogas pesadas e drogas leves tem grande urgência por causa do endurecimento do comércio de drogas pesadas “.

De acordo com o jornal, atualmente, até 115 visitas guiadas passam pelo distrito da Luz Vermelha todos os dias. Mais da metade dos residentes e empresas do centro dizem que são incomodados por visitas guiadas, enquanto as profissionais do sexo reclamam do comportamento abusivo e de fotografias  tiradas sem o seu consentimento.