A semana

Amigos, amigos; eleições à parte

CORRUPÇÃO
Amigos, amigos; eleições à parte

O presidente de um país na América Latina opera por meio de propinas a concessão de obras públicas ou de cargos em estatais. Apesar da evidente corrupção, tal presidente se diz vítima de perseguição política e ideológica. Quem é ele? Acertou quem respondeu: Lula! Acertou também quem disse: Alan García! (governou o Peru em duas gestões, 1985-1990, 2006-2011). O duplo acerto mostra dois fatos: 1) o modus operandi dos corruptos é o mesmo; 2) a desculpa dos corruptos igualmente é a mesma quando a polícia vai atrás deles. Em questão, na semana passada, esteve Alan García. Acusado de ter recebido US$ 100 mil em propinas, calmamente ele se dirigiu à embaixada do Uruguai, em Lima, com a certeza de que receberia asilo político por determinação do presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, seu velho amigo. Vázquez optou por seguir a regra: “amigos, amigos; eleições à parte” – ele quer um segundo mandato no ano que vem e a população de seu país é contra o asilo. Deu para entender? O novo endereço de García não será o da embaixada. Será, em breve, o da superintendência da PF em Lima.

AI-5
E Carlos Lacerda voltou a comer…

É bom recordar para nunca mais viver. Lá se vai, na próxima quinta-feira 13, meio século que a ditadura militar decretou o AI-5 e jogou o Brasil no breu político sem vela – Congresso fechado, mídia censurada, habeas corpus suspenso. Fica a dica de um excelente livro lançado esse ano: “1968 – quando a terra tremeu”, do jornalista Roberto Sander. Conta a história da greve de fome de Carlos Lacerda, mais indignado porque os militares o chamaram de comunista do que pelo fato de estar preso. Alguém lhe disse: você está fazendo tragédia de Shakespeare na terra de Dercy Gonçalves. Lacerda passou a comer. No livro tem também a primeira visita ao Brasil de um jovem e acanhado Mick Jagger. Coisa boa de 68.

SOCIEDADE
A valiosa adega de Paulo Maluf está à venda?

A adega do ex-deputado federal Paulo Maluf está estimada em aproximadamente US$ 3,8 milhões – nela estão alguns dos mais nobres e raros vinhos franceses. O mais caro? Trata-se de um Romanée-Conti, avaliado em US$ 67 mil. Maluf teria anunciado que estão à venda 862 garrafas. Embora não haja nenhuma medida cautelar da Justiça impedindo que o ex-deputado beba ou venda a sua adega (parte dela ou a totalidade), o MP de São Paulo declarou na terça-feira 4 que pretende saber quem serão os compradores para verificar se há ilicitudes na comercialização. Assessores de Maluf desmentem que ele tenha interesse em se desfazer de qualquer garrafa. Maluf está condenado a quase oito anos de prisão (domicilar), acusado de superfaturamento de obras quando esteve no cargo de prefeito de São Paulo.

US$ 3,8 milhões é o valor em que está estimada a adega de Paulo Maluf

O mais caro vinho da adega de Maluf é um Romanée-Conti. Valor: US$ 67 mil

“É preciso saber quais são os tipos de vinho, os valores cobrados e os compradores”
Silvio Marques, promotor de Justiça

PESQUISA
Jovens do País estão entre os mais ociosos

Lisa-Blue

É de 23% o índice de jovens brasileiros, entre 15 e 24 anos, que não trabalham nem estudam. Essa taxa é mais alta do que a média da América Larina e Caribe, segundo pesquisa divulgada na quarta-feira 5 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A mesma pesquisa apontou que o Brasil possui o maior índice de indivíduos, nessa faixa etária, que são completamente ociosos – nem em casa ajudam os pais. Também vamos mal na fatia do levantamento do Ipea focada nos aspectos cognitivos da juventude. Somente 46% deram respostas corretas em testes de matemática. Perdemos para El Salvador, México, Paraguai, Haiti, Chile e Colômbia.

EUA
O funeral que congregou republicanos e democratas

REUTERS / Kevin Lamarque

Em vida, o conservador George H. W. Bush (governou os EUA de 1989 a 1993) teve a habilidade de congregar republicanos e democratas – e também de afastá-los quando lhe convinha. Na cerimônia de seu funeral na Catedral Nacional de Washington, na quarta-feira 5, o espírito bipartidário se repetiu, reunindo Donald Trump e ex-presidentes, independentemente de ideologias. Após a cerimônia, a urna funerária foi transportada para o Texas, onde se deu o sepultamento. Bush pai (assim chamado porque seu filho George W. Bush também presidiu o país) morreu no sábado 1, aos 94 anos.

LAVA JATO
O primeiro delator pode voltar para a cadeia

EVARISTO SA / AFP

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa foi o primeiro delator da Lava Jato. Isso, em agosto de 2014. Sem a sua delação, a operação não teria chegado, na semana passada, a 57ª fase. Foi justamente nela que se descobriu que Paulo Roberto, talvez, tenha omitido fatos sobre propinas de empresas internacionais. Ele cumpre pena em regime aberto. Se confirmada a omissão, voltará à cadeia.