Comportamento

Americano mata o pai durante uma teleconferência do Zoom

Americano mata o pai durante uma teleconferência do Zoom

O Zoom se popularizou durante a pandemia de Covid-19 - AFP/Arquivos

Um americano de 32 anos matou o próprio pai quando este participava de uma reunião virtual no aplicativo Zoom, talvez o primeiro assassinato transmitido nesta plataforma, indicou nesta sexta-feira (22) a polícia do condado de Suffolk, periferia de Nova York.

Na quinta-feira, pouco depois do meio-dia, Thomas Scully-Powers apunhalou seu pai, Dwight Powers, de 72 anos, até a morte na cidade de Amityville, em Long Island, muito conhecida pelo filme de terror que leva seu nome e estreou em 1979.

O criminoso bateu primeiro antes de procurar facas com as quais atingiu o pai no peito, costas e pescoço “quase decapitando-o”, de acordo com o relatório do promotor citado na autópsia.

Quando o agressor voltou armado com facas, os participantes ligaram para o número de emergência, informou a polícia.

“Este é um caso chocante e perturbador”, disse o promotor local Timothy Sini.


+ Advogada é morta e tem corpo carbonizado no Rio de Janeiro
+ Morre Liliane Amorim, influencer de Juazeiro do Norte, após complicações da realização de lipoaspiração

Quando os policiais chegaram à cena do crime, o autor da agressão, que morava com o pai, fugiu pulando pela janela do primeiro andar, de acordo com o promotor.

Em seguiada parou numa loja onde bebeu um refrigerante e tentou limpar o sangue do corpo, mas a polícia o pegou a alguns quarteirões de distância.

Nesta sexta-feira, Thomas Scully-Powers foi formalmente acusado de assassinato e preso enquanto aguarda uma nova audiência marcada para 26 de maio.

“Segundo sua própria confissão, o suspeito esfaqueou brutalmente seu pai repetidamente, até ter certeza de que ele estava morto. A investigação sobre esse crime horrível continua” até ser feita justiça informou o promotor.

O promotor não especificou qual poderia ser o motivo do crime, mas de acordo com Thomas Scully-Powers, foi seu pai que começou a luta. O suspeito tem antecedentes criminais e pode pegar até 25 anos de prisão.

Ainda não se sabe exatamente o que os participantes da videoconferência viram enquanto esta cena de terror se desenrolava.

Este crime parece ser o primeiro na plataforma Zoom, cuja quantidade de usuários explodiu devido ao confinamento decretado pela pandemia em grande parte do mundo.

Atualmente, milhões de pessoas se reúnem diariamente em plataformas como Zoom, Google Hangout, Houseparty ou Facetime para conversar, tomar uma bebida juntos ou celebrar datas comemorativas.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ 7 tendências de design de interiores que vão bombar em 2021
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel