Esportes

Amaral vendeu medalha olímpica de bronze conquistada em Atlanta: ‘Deu para pagar várias contas’

Ex-jogador contou que recebeu uma 'boa proposta' e depois fez uma réplica

Amaral vendeu medalha olímpica de bronze conquistada em Atlanta: ‘Deu para pagar várias contas’

em 1996 (Reprodução/ Instagram)


O ex-volante da Seleção Brasileira Amaral também se animou com a Cerimônia de Abertura da Olimpíada de Tóquio e revelou ter vendido sua medalha de bronze conquista na edição de Atlanta, em 1996. O ex-jogador afirmou ter recebido uma “boa proposta” e hoje tem uma réplica em casa, que também recebeu uma oferta para ser vendida.

> Confira a tabela do futebol na Olimpíada de Tóquio e simule os resultados!

– Momento único para quem joga uma Olimpíada. Eu, por exemplo, ganhei a medalha de bronze em Atlanta. Eu vendi a minha medalha, recebi uma boa proposta e não tive como recusar, e deu para pagar várias contas. Depois fiz uma réplica – escreveu o ex-atleta em uma publicação no Instagram.

– O comprador ainda pediu para eu tirar uma foto com ela, não poderia negar, tirei a foto. E ele queria comprar até minha réplica, mas aí não vendi não – completou Amaral.

+ Conheça o novo app do LANCE! e fique por dentro dos resultados e notícias!

O ex-jogador e apresentador Neto também foi às redes sociais nesta sexta-feira para falar de sua medalha olímpica, conquistada na Olimpíada de Seoul, em 1988. O ex-meia, no entanto, não vendeu a dele e afirmou ser uma experiência que marcará a vida dos atletas.

Veja também
+ Corpo de Gabby Petito é encontrado, diz site; legista afirma que foi homicídio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio