Saúde da mulher

9 alimentos consumidos pelas pessoas mais velhas do mundo

Crédito: Freepik

Você já ouviu falar nas Zonas Azuis? Trata-se das cinco regiões com as maiores concentrações de pessoas centenárias do mundo, e boa parte dessa longevidade ocorre graças aos alimentos majoritariamente consumidos em tais lugares.

+ 10 alimentos ideais para perder peso com saúde


+ 5 bebidas que ajudam a aumentar sua longevidade

Sardenha, na Itália, Okinawa, no Japão, Icária, na Grécia, Nicoya, na Costa Rica, e Loma Linda, nos Estados Unidos, compõem as Zonas Azuis. E apesar de a alimentação variar em cada região, pode ser útil descobrir quais são alguns dos produtos mais consumidos pelos centenários do planeta. Saiba agora com informações do “Eat This, Not That!”.

9 alimentos que podem trazer mais longevidade

Abacate

Unsplash

Os abacates, que carregam consigo uma longa lista de benefícios para a saúde, são um alimento básico para a comunidade de Loma Linda, na Califórnia. Além de serem úteis na redução do colesterol e conterem 30% mais potássio do que as bananas — de acordo com um estudo do “National Geographic” —, os frutos também ajudam a controlar o peso e diminuir o risco de obesidade e diabetes tipo 2.

Feijão

Unsplash

O feijão fornece ótimas quantidades de fibras e outros nutrientes que ajudam a combater doenças. O feijão-fradinho, por exemplo, é parte da dieta diária em Icária, e possui propriedades anticancerígenas, antidiabéticas e saudáveis ​​para o coração.

Da mesma forma, é costume consumir feijão-preto diariamente na Península de Nicoya, muitas vezes com arroz e tortilhas de milho. O feijão preto tem grandes quantidades de fibras e antioxidantes e é conhecido por ajudar a controlar o diabetes, prevenir o câncer e diminuir o risco de doenças cardíacas.

+ Análise indica quanto tempo de exercício físico é preciso para reduzir o risco de morte

Alho

Unsplash

Consumido em larga escala em Okinawa, o alho é um dos medicamentos mais poderosos da natureza. Suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias são conhecidas por ajudarem a prevenir cânceres, diabetes e doenças cardiovasculares. 

Batata

Unsplash

Também parte da dieta diária de Okinawa, a batata-doce roxa contém antocianinas, fitoquímicos conhecidos por ajudar a prevenir doenças. A raiz também é rica em vitamina A, B6, C, potássio e fibras.

Da mesma forma, a batata-inglesa pode ajudar a controlar e prevenir o diabetes e a manter os níveis de pressão arterial baixos, e é muito consumida em Icária.

Azeite de oliva

Unsplash

Grande estrela da culinária grega, o azeite de oliva é muito amado pela população de Icária e pode ajudar a controlar o peso, diminuir a pressão sanguínea, reduzir o risco de cânceres e contribuir para a saúde geral com suas propriedades anti-inflamatórias.

+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol 

Salmão

Unsplash

O salmão contém altos níveis de ácidos graxos ômega 3, que beneficiam a saúde do coração e reduzem o risco de doenças cardiovasculares, além de ajudar a reduzir os níveis crônicos de inflamação.

Pão de fermentação natural

Unsplash

Feito com trigo integral e lactobacilos vivos, o pão de fermentação natural é especialmente consumido na Sardenha. De acordo com o “National Geographic”, a forma como ele é assado na região ajuda a transformar açúcar e glicose em ácido lático, reduzindo o índice glicêmico. Isso significa que comê-lo aumenta a sensação de saciedade sem elevar os níveis de açúcar no sangue.

Tomate

Unsplash

Também amado pelos sardenhos, o tomate contém licopeno, antioxidante conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias e sua capacidade de baixar a pressão arterial, reduzir o risco de síndrome metabólica e derrame, além de melhorar a saúde do coração.

Vinho tinto

Unsplash

+ 4 benefícios das bebidas alcoólicas, segundo estudos

De acordo com o site oficial das Zonas Azuis, muitas pessoas nessas regiões ingerem cerca de dois cálices de vinho tinto por dia, e estudos confirmam que a bebida pode ser benéfica para a saúde do coração devido ao seu teor de antioxidantes e polifenóis. No entanto, assim como com qualquer bebida alcoólica, a moderação é fundamental.