Saúde da mulher

10 alimentos que podem aumentar os sintomas de ansiedade

Crédito: Freepik

Muito se fala sobre métodos para ajudar a diminuir a ansiedade, inclusive através da alimentação. O que poucos sabem, no entanto, é que certos alimentos e ingredientes também podem elevar os níveis da condição.

+ Conheça os benefícios à saúde de uma dieta anti-inflamatória

+ Estresse ou ansiedade? Aprenda a diferenciar as condições e como se livrar delas

A seguir, confira dez alimentos que você pode preferir evitar para manter a saúde mental — mesmo que você não sofra de quaisquer transtornos de ansiedade. As informações são da “Slice”.

Tofu e soja

Pexels

À medida que mais pessoas tornam-se adeptas do vegetarianismo e do veganismo, alternativas de laticínios à base de soja e substitutos de proteínas magras estão sendo incorporados em seus pratos. No entanto, a soja é rica em cobre, que está ligado à ansiedade, além de possuir altos níveis de fitoestrógenos que podem causar desequilíbrios hormonais, resultando em mudanças de humor e aumento dos níveis de ansiedade.

O tofu, por sua vez, contém inibidores de tripsina e inibidores de protease, enzimas que dificultam o processamento dessa proteína, bem como lectinas que causam distúrbios digestivos. Tempê e missô são mais fáceis de digerir do que tofu, tornando-se alternativas benéficas.

Farelo de trigo

Unsplash

Adicionar fibras à sua dieta é importante, mas evite farelo de trigo sempre que puder. O ingrediente contém uma alta concentração de ácido fítico, um antinutriente que armazena fósforo nas plantas.

De acordo com a Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Harvard (EUA), os antinutrientes limitam a absorção de minerais como ferro, cálcio e zinco — cujas deficiências estão ligadas à ansiedade. O ácido fítico também é encontrado na aveia, feijão e leguminosas e arroz, mas deixá-los de molho antes de cozinhar reduz seus níveis.

Cafeína

Pexels

Talvez você não consiga imaginar um dia que não comece com uma xícara de café. No entanto, você deve reconsiderar seu consumo de cafeína se estiver se sentindo ansiosa. Isso porque a substância causa aumentos na adrenalina e temperatura corporal, palpitações cardíacas, insônia e irritabilidade. Além disso, ela pode liberar cortisol, causando um aumento na pressão arterial e na frequência cardíaca.

Bebidas energéticas com cafeína podem, inclusive, fazer com que você tenha arritmia cardíaca. E para quem sofre com ansiedade social, uma pequena quantidade da substância pode levar a efeitos colaterais indesejados.

Suco de frutas

Pexels

Muitos sucos de frutas eliminam as fibras — a parte mais saudável das frutas inteiras — e deixam apenas todo o açúcar. Sucos comprados em estabelecimentos podem conter até 90% de açúcar, o que causa um pico da substância no sangue, resultando até em tremores ou nervosismo. E especificamente os sucos de maçã, pêra e uva podem conter baixos níveis de arsênico, o que induz um comportamento ansioso.

Kimchi e outros alimentos fermentados

Unsplash

O Kimchi — clássico da culinária coreana — e outros alimentos fermentados são ótimos para a saúde intestinal, mas também podem ser prejudiciais à saúde mental. O problema está na forma como as proteínas são quebradas durante o processo de fermentação, que cria um subproduto indesejado: histamina. Se você é sensível à histamina, um excesso dela pode causar os mesmos sintomas de um ataque de ansiedade, além de inflamação no cérebro — o que pode causar ansiedade.

Bebidas alcoólicas

Unsplash

O consumo de álcool pode levar a vários problemas que afetam os níveis de ansiedade, como a perda de sono, desidratação e flutuações entre níveis altos e baixos de açúcar no sangue. A substância ainda afeta os níveis de serotonina — principal hormônio que estabiliza o humor e as emoções — no cérebro, e uma vez que o álcool entra, você pode se sentir mais ansiosa do que antes. 

Além disso, pessoas com transtornos de ansiedade que se automedicam com álcool são mais propensas a desenvolver uma dependência.

Açúcar

Unsplash

Seu cérebro não funciona melhor quando os níveis de glicose no sangue estão elevados, o que significa que a conexão entre açúcar e ansiedade é real. E embora seja difícil de evitar o ingrediente completamente, existem maneiras de reduzir sua ingestão.

Para isso, tenha cuidado com o açúcar adicionado em opções de baixa caloria, como molhos para salada e pasta de amendoim. Evite refrigerantes ricos em açúcar e sem valor nutricional e os açúcares refinados em alimentos ricos em amido, como pão branco, macarrão e arroz, que fazem com que os níveis da substância no sangue aumentem e depois caiam. 

Alimentos processados e fritos

Unsplash

Embora os alimentos processados ​​e fritos sejam deliciosos, há uma longa lista de razões pelas quais alguém propenso à ansiedade não deve consumi-los. Além de conterem óleos parcialmente hidrogenados ou gorduras trans que estão ligadas à ansiedade e à depressão, estes alimentos podem levar a artérias entupidas, o que diminui o fluxo sanguíneo para o cérebro.

Carnes processadas como salsicha, bacon e embutidos são ricas em sódio e açúcar, que levam à inflamação, afetando as partes do cérebro que controlam a ansiedade e a motivação.

Sopas enlatadas e outros alimentos rápidos e ultraprocessados não incluem apenas aditivos, conservantes e corantes, mas também podem conter Bisfenol A — também conhecido como BPA —, um produto químico ligado à ansiedade que afeta os neurotransmissores na parte do cérebro que controla o estresse. Além de tudo, alimentos fritos e processados ​​podem causar refluxo ácido e gases, o que também aumenta os níveis de ansiedade.

Chocolate

Unsplash

Os benefícios à saúde do chocolate meio amargo, que é rico em antioxidantes, são amplamente conhecidos. No entanto, é importante lembrar que o chocolate contém açúcar e cafeína, e a versão amarga também inclui teobromina — um alcalóide encontrado na planta do cacau, que pode desencadear ansiedade, inquietação e até raiva.

Por isso, ao escolher seu chocolate, opte por um com 70% de cacau ou mais, e combine-o com uma gordura saudável e uma proteína para equilibrar as repercussões potencialmente negativas.

Adoçantes artificiais

Freepik

Se você está reduzindo sua ingestão de açúcar, pense duas vezes antes de procurar adoçantes artificiais como aspartame, sucralose, sacarina e outros substitutos. Além de aumentar os níveis de ansiedade, eles podem levar a dores de cabeça, insônia, fadiga, alterações de humor, falta de foco e até palpitações cardíacas. 

Os adoçantes artificiais podem causar os mesmos picos e falhas cerebrais comumente associados ao açúcar; além disso, estudos mostram que o aspartame é capaz de bloquear a produção de serotonina do cérebro.