Os hormônios desempenham um grande papel em seu organismo. Afinal, quase tudo o que você faz rotineiramente os impacta ou acontece por consequência deles. É o caso, por exemplo, com as emoções que você sente, dos exercícios que pratica e, inclusive, dos alimentos que come. Por isso, existe uma relação íntima entre alimentação e hormônios em sua saúde.

+ Entenda como a alimentação influencia e pode adiantar a chegada da menopausa

+ 10 vegetais menos saudáveis do que você pensa

Isso porque a atividade do sistema digestivo pode impactar os níveis de hormônios intestinais. De acordo com a “Women’s Health”, de onde são as informações, pode ser difícil compreender quais alimentos são benéficos e quais podem ser prejudiciais para você. No entanto, a recomendação geral é manter uma alimentação “arco-íris”: alimentos variados, proteínas saudáveis e muitos vegetais.

Como se alimentar para beneficiar seus hormônios

alimentação e hormônios
Pexels

Alimentos reguladores de hormônios

  • Chá de camomila: tem propriedades sedativas que ajudam a relaxar os músculos, beneficiando os músculos da parede do útero;
  • Salmão: rico em proteínas e ômega 3, o peixe ajuda a regular os níveis de energia e manter o cortisol e a adrenalina (hormônios relacionados ao estresse) sob controle;
  • Sementes de abóbora: regulam os níveis de energia no organismo;
  • Laranja: por ser rica em vitamina C, a fruta também ameniza níveis de cortisol e adrenalina;
  • Aspargos: o vegetal é repleto de ácido fólico, que pode melhorar o humor;
  • Espinafre: o ferro presente nas folhas aumenta a produção de energia do organismo;
  • Maçã: a fruta contém açúcares naturais que aumentam a energia. No entanto, seu alto teor de fibras ocasiona a digestão lenta, fazendo com que a energia permaneça por mais tempo no corpo;
  • Pepino, funcho e salsão: vegetais ricos em água ajudam o organismo a evitar a retenção de líquidos.

Alimentação e hormônios na menstruação

Algumas regras alimentares podem ajudar a amenizar os sintomas desagradáveis da menstruação. Uma delas é manter o foco alimentar em fibras e proteínas magras, pois elas ajudam a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Isso é especialmente importante para evitar os desejos por alimentos pouco saudáveis no período. 

+ Especialistas dão dicas para parar de comer por estresse

Além disso, consumir as bebidas e alimentos certos pode ajudar a combater o inchaço: evite líquidos açucarados e refrigerantes e opte por alimentos com baixo teor de sal. Atenha-se, também, aos alimentos integrais, evitando os ultraprocessados.

Por último, a cafeína pode ser uma aliada no alívio de cólicas menstruais e da letargia causada pelo ciclo. A substância pode ser benéfica, ainda, por ter propriedades antioxidantes.

Alimentação e hormônios na menopausa

De acordo com o portal, a melhor dieta para a menopausa é a anti-inflamatória. Recebem destaque a curcumina, substância encontrada na cúrcuma, e a vitamina E, que podem ajudar a diminuir ondas de calor

Isso porque o estresse vivenciado na pré-menopausa pode causar inflamação crônica, ligada a condições como artrite, Alzheimer e doenças cardíacas. Para beneficiar o organismo, uma dieta de estilo mediterrâneo é recomendada. Componha-a com uma abundância de vegetais, frutas, legumes, grãos, azeite, nozes e sementes, ervas e especiarias, alguns peixes e frutos do mar. Laticínios e carnes devem vir em quantidade moderada.