Mundo

Aliança opositora a Ortega se registra no tribunal eleitoral da Nicarágua

Aliança opositora a Ortega se registra no tribunal eleitoral da Nicarágua

Manifestante segura uma bandeira da Nicarágua durante comemoração do terceiro aniversário do início dos protestos contra o executivo do presidente Daniel Ortega, em 18 de abril de 2021 na cidade de Masaya - AFP/Arquivos


A Aliança Cidadãos pela Liberdade, que agrupa setores de direita contrários ao atual governo da Nicarágua, registrou-se nesta quarta-feira (12) perante o tribunal eleitoral para disputar as eleições de novembro, após fracassar nos esforços para unificar a oposição, informaram fontes políticas.

A coalizão será liderada pelo Partido dos Cidadãos pela Liberdade (CxL) e também será formada pelo Partido do Movimento da Unidade Costeña (PAMUC, indígena), anunciou à imprensa o vice-presidente do CxL, Oscar Sobalvarro.

O movimento conta também com o apoio da Aliança Cívica pela Justiça e a Democracia (ACJD), que reúne acadêmicos e um setor de jovens que liderou os protestos de 2018 pedindo a renúncia do presidente Daniel Ortega, no poder desde 2007.

O segundo bloco da oposição, representado pela Coalizão Nacional (CN), recusou-se a se juntar à Aliança Cidadãos pela Liberdade, devido a fortes discrepâncias que surgiram nos últimos dias em relação à distribuição de cargos eleitos pelo povo e disputas por representação legal.

Um dos candidatos da Aliança, o ex-embaixador e acadêmico Arturo Cruz, disse esperar que a coalizão possa se juntar ao resto da oposição durante o processo eleitoral.

Os dois blocos de oposição se culparam por dificultar a formação de uma grande aliança eleitoral para enfrentar a Frente Sandinista (FSLN, de esquerda), que não exclui a candidatura do presidente Ortega para um quarto mandato consecutivo.

“É lamentável e dói” esta divisão, expressou o representante do PRD Julio González.

+ Sabrina Sato aparece com micro biquíni e surpreende seguidores

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

“Tínhamos esperança de que se pudesse fazer uma aliança” com o outro bloco, lamentou a presidente do CxL, Kitty Monterrey, que destacou que seu grupo “tem as portas abertas” a todos os setores da oposição que desejam se retirar Ortega do poder.

A Nicarágua realizará eleições legislativas e presidenciais em 7 de novembro sob uma questionada reforma da lei eleitoral que limita a participação de opositores e deixa o controle do Conselho Supremo Eleitoral nas mãos do partido no poder.

Veja também
+ Mãe de Eliza Samudio diz que Bruno não paga pensão e que filho do goleiro se sente culpado pelo crime
+ Atriz pornô é encontrada morta nos EUA
+ Influenciadora mexicana é assassinada em encontro falso
+ Baleia 'engole' pescador nos EUA e depois o cospe vivo
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Faustão é internado em hospital de SP
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS