Alguém, por favor, atire Bolsonaro no vaso e dê logo a descarga

Crédito: AFP

O presidente Jair Bolsonaro durante o evento de lançamento da Semana da Comunicação no Palácio do Planalto, em Brasília, em 5 de maio de 2021 (Crédito: AFP)


Em pleno ápice da pandemia de coronavírus no País, onde 415 mil brasileiros se foram, deixando mais de 2 milhões de enlutados, Jair Bolsonaro, o sociopata que ocupa a Presidência da República, protagonizou mais um de seus inúmeros surtos psicóticos.

Em cerimônia oficial realizada nesta quarta-feira (5) no Palácio do Planalto, o amigão do Queiroz atacou novamente a China, nosso maior parceiro comercial e fornecedor da vacina que é aplicada em 8 a cada 10 braços no Brasil, além de fabricante essencial do tal IFA (ingrediente farmacêutico ativo), do imunizante da AstraZeneca, produzido pela Fiocruz no Brasil.

Mas não só: o devoto da cloroquina chamou de canalha quem critica o “tratamento precoce”, mas que não oferece outra alternativa. Para essa besta ao quadrado, se não existe cura comprovada para a Covid-19, que se use veneno, ou então que se apresente algum remédio salvador em seu lugar. Do contrário, será uma canalhice não recomendar ou mesmo contra-indicar sua “garrafada” milagrosa.

Além disso, o ignóbil voltou a demonizar o uso de máscara – já encheu o saco isso aí – e maldizer as medidas de distanciamento social, ou seja, voltou a incentivar o suicídio coletivo do povo brasileiro. Quando o chamo de homicida, o faço baseado em falas e atitudes como estas. Além de homicida, Bolsonaro é cruel, é sádico, é perverso. E completamente inabilitado para o cargo.

Mas o pai do senador das rachadinhas e da mansão de 6 milhões de reais estava com a corda toda. De forma incrivelmente alucinada e insana, até para os padrões do bolsonarismo, o marido da receptora de cheques de miliciano disse que o novo coronavírus faz parte de uma guerra biológica iniciada – pelo que levou a crer com suas palavras – pela China, que criou o vírus em laboratório e o espalhou mundo afora para crescer economicamente.

Já não basta a esse cretino ignorante desdenhar das mortes (mimimi); pisotear cadáveres (e daí); debochar de enlutados (vão chorar até quando); ofender quem se cuida (maricas); fugir de responsabilidades (não sou coveiro); mentir (tá indo embora o vírus); maldizer vacinas (jacaré); boicotar imunização (não vou comprar) e atirar o País na maior crise sanitária da história, com as naturais consequências econômicas e sociais. Ele agora quer aprofundar a crise com os chineses e isolar completamente o Brasil do mundo desenvolvido.

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

Não há nada que saia da boca do verdugo do Planalto que não se pareça com (e não cheire a) fezes. Ou ele degrada a vida humana ou degrada o País. Isso não pode continuar assim. Alguém atire, por favor, Bolsonaro no vaso e dê logo a descarga. Do contrário, flutuaremos todos, como cocô, neste imenso esgoto a céu aberto em que se tornou o Brasil.

Veja também
+ Sabrina Sato mostra corpo musculoso em clique na floresta
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago



Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.