Edição nº2501 17.11 Ver edições anteriores

Alerta no governo

SOLUÇÕES O presidente Michel Temer pediu diagnóstico dos projetos sociais
SOLUÇÕES O presidente Michel Temer pediu diagnóstico dos projetos sociais

Uma reunião no Palácio do Planalto acendeu o alerta vermelho: do jeito que está, grande parte das metas de políticas sociais tomadas como prioritárias pelo governo não será cumprida e o motivo é, sobretudo, econômico. O encontro que contou com Eliseu Padilha (Casa Civil), Dyogo Oliveira (Planejamento), Ricardo Barros (Saúde), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), Helder Barbalho (Integração Nacional), Roberto Freire (Cultura) e representantes do Ministério do Desenvolvimento Social e de outras pastas instalou o clima de preocupação. Foi apresentado pela subchefia de Articulação e Monitoramento da Casa Civil um documento exibido em 29 telas de Power Point. Pelo texto, nem mesmo compromissos já assinados serão cumpridos no prazo estabelecido por Temer.

Maternal…

Nem o Criança Feliz, que é apadrinhado pela primeira-dama, Marcela Temer, escapa. Na reunião foi dito que a meta de atender 1,8 milhão de crianças até 2018 está comprometida pela falta de resposta dos estados e municípios que não conseguem honrar os seus compromissos. Até agora, o programa lançado há sete meses capacitou apenas 124 multiplicadores.

…Creches

A meta de retomar até junho desse ano 445 obras paradas de creches e pré-escolas está, a um mês do fim do prazo, com 270 delas totalmente paralisadas e só cinco concluídas. Segundo o documento, “falta capacidade operacional para acompanhar a execução das obras no território nacional e oferecer auxílio técnico por parte do FNDE”.

Rápidas

* Ex-secretário da Casa Civil do governo Cabral e líder de um dos maiores escritórios de advocacia do País, Régis Fichtner abriu conversas para um acordo de delação premiada. O Judiciário do Rio tem motivo para temer.

* Os mesmos juristas e interlocutores de ministros do STF que diziam que a decisão da 2ª Turma em soltar Dirceu era técnica e sem motivação política enxergaram, 24 horas depois, viés “curitibano” na decisão do ministro Edson Fachin de julgar o habeas corpus de Palocci no plenário.

* Advogado que transita no Supremo, nas badaladas bancas de São Paulo e nas carceragens de Curitiba destaca que o “timing” é um componente importante para se conseguir ou não a soltura de um réu em Brasília.

…e Ensino Médio

55

Ainda sobre a reunião, o objetivo de Temer em promover salto na educação, com o PROEMI (Programa Ensino Médio Inovador), tem obstáculos. “Apesar de previsto para fevereiro/2017, não houve pagamento da 1ª parcela (…); não tem previsão orçamentária para 2018 – risco de descontinuidade; Escolas que aderiram e não podem receber recursos em função de pendências junto ao FNDE (recorrente)”. Já o Programa Novo Mais Educação, de acordo com o texto, “poderá ser descontinuado em 2018, por indefinição no aporte de recursos”. Mendonça Filho, titular do MEC, terá muito trabalho.

Retrato falado

“Criaram um perfil falso para fazer política pequena contra mim. Denunciei à PF”
“Criaram um perfil falso para fazer política pequena contra mim. Denunciei à PF”

A deputada federal Magda Mofatto (PR-GO) é vítima de ataques na rede social LinkedIn. Um homem identificado como Flávio de Paula Canedo faz graves acusações contra ela. “Torturei um cidadão, fui condenado e ela pagou para eu não ir para cadeia.” O nome é o mesmo do de seu ex-marido, mas a parlamentar tem certeza que é um perfil falso. Além de procurar a Polícia Federal, Magda registrou o caso também em cartório do DF. O ataque começou em 2015.

Vai indo que eu já vou

Há uma corrente da base aliada do governo na Câmara trabalhando para que a votação da reforma previdenciária vá ao plenário da Casa somente depois que o Senado votar a reforma trabalhista, já aprovada no fim do mês passado pelos deputados. A ideia é que a apreciação sirva de teste para demonstrar se Temer tem os votos necessários entre os senadores para confirmar as mudanças nas regras do trabalho. Os deputados não querem correr o risco de assumir o desgaste com os eleitores de lutar pelas mudanças na Previdência e descobrir depois que, ao ser enviada ao Senado, ela não será vencedora. Por isso, querem o teste de fidelidade.

Há uma corrente da base

aliada do governo na Câmara trabalhando para que a votação da reforma previdenciária vá ao plenário da Casa somente depois que o Senado votar a reforma trabalhista, já aprovada no fim do mês passado pelos deputados. A ideia é que a apreciação sirva de teste para demonstrar se Temer tem os votos necessários entre os senadores para confirmar as mudanças nas regras do trabalho. Os deputados não querem correr o risco de assumir o desgaste com os eleitores de lutar pelas mudanças na Previdência e descobrir depois que, ao ser enviada ao Senado, ela não será vencedora. Por isso, querem o teste de fidelidade.

Caça e caçador

Em meio ao contingenciamento, o governo está com dificuldades para pagar o combustível dos aviões da Força Aérea. Como muitos estão no chão, pilotos não conseguem manter sua rotina mínima de voos. A alternativa tem sido transferir para pilotos de caça os voos que levam os ministros em viagens a trabalho pelo País.

Toma lá dá cá

Clara Becker, ex-mulher de José Dirceu
Clara Becker, ex-mulher de José Dirceu

A senhora falou com Dirceu, que continua sendo seu amigo, agora que ele saiu da prisão?

Eu estive com ele na última sexta (28 de abril). Estava esperançoso, fui levar um pijama de frio e umas comidinhas caseiras. Tenho muita pena dele, ele não merece ficar preso. A vida toda foi dedicada a melhorar esse País. Mas fazer o quê? Dirceu é um dos homens mais inteligentes. Eu acredito na inocência dele . Verdade que cometeu alguns erros para que o PT continuasse melhorando a vida dos menos favorecidos. Mas muitos que gritavam “Fora PT!” já estão chorando. E acho que vai piorar. E muito.

A senhora foi visitá-lo no complexo médico-penal, em Curitiba?
Sim, em Curitiba. Saí daqui (Cruzeiro do Oeste,
no interior do Paraná, onde vive), às 4h da madrugada para chegar lá às 13h. Fui com minha neta linda, advogada com carteira da OAB e tudo. Puxou à avó (risos).

E a senhora tem planos de vir visitá-lo em Brasília, agora que ele está morando aqui?
Pode ser que eu vá vê-lo depois do Dia das Mães, ainda vou ver se dá. Quero passar uns dois dias para lhe dar força.
Ele aparenta estar bem fisicamente.

E as emoções, como estão?
Sim, ele se cuida muito em relação à saúde. Psicologicamente está muito triste. Mas tenta animar a gente se mostrando forte.

Sem fio

57

Preso em Brasília, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro, conhecido como operador do PMDB nos esquemas de propina do petrolão, está usando a mulher, Raquel Albejante Pitta, para fazer contato com emissários de seu antigo sócio, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, que está encarcerado em Curitiba. Pelo menos não é comunicação por celular.

Caça e caçador

56

Em meio ao contingenciamento, o governo está com dificuldades para pagar o combustível dos aviões da Força Aérea. Como muitos estão no chão, pilotos não conseguem manter sua rotina mínima de voos. A alternativa tem sido transferir para pilotos de caça os voos que levam os ministros em viagens a trabalho pelo País.

FOTOS: Eraldo Peres/AP; Sidney Lins Jr.; Divulgação; Reprodução; Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/AE


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.