Economia

Alemanha: índice IFO de sentimento das empresas sobe a 90,5 em julho

O índice de sentimento das empresas da Alemanha subiu de 86,3 pontos em junho para 90,5 pontos em julho, em meio à melhora da confiança com a gradual reabertura da maior economia da Europa após o choque da pandemia do novo coronavírus, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo instituto alemão IFO.

O resultado de julho superou a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta do índice a 89. O dado de junho foi ligeiramente revisado para cima, de 86,2 pontos originalmente. “A economia alemã está se recuperando passo a passo”, avaliou o IFO.

O chamado subíndice de expectativas econômicas do IFO avançou de 91,6 pontos em junho para 97 pontos em julho. Já o subíndice de condições atuais subiu de 81,3 para 84,5 pontos no mesmo período.

A pesquisa mensal do IFO envolve cerca de nove mil empresas dos setores de manufatura, serviços, comércio e construção. Fonte: Dow Jones Newswires.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Previsões de Nostradamus para 2021: Asteróide e ‘fim de todo o mundo’
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ De biquíni verde cavado Lívia Andrade arranca elogios da web ao tomar banho de sol
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel