Mundo

Alemanha desaconselha viagens para quase toda a Itália

BERLIM, 30 OUT (ANSA) – O governo da Alemanha desaconselhou nesta sexta-feira (30) a realização de viagens para toda a Itália, com exceção da região da Calábria, no extremo-sul do país.   

Na semana passada, Berlim já havia incluído 11 das 20 regiões italianas na lista de áreas de risco devido à disseminação do novo coronavírus.   

A medida adotada nesta sexta não prevê uma proibição de viagem, mas torna obrigatória a quarentena para quem retornar das zonas afetadas ou a apresentação de um resultado negativo para o Sars-CoV-2.   

A Itália vem registrando recordes seguidos nos casos diários de Sars-CoV-2, e o número de mortes em 24 horas – 217 na quinta-feira (29) – voltou ao patamar da primeira metade de maio, quando o país havia acabado de sair de dois meses de lockdown.   

A Itália soma 616.595 casos e 38.122 mortes, enquanto a Alemanha, com população um terço maior, tem 506.381 contágios e 10.359 óbitos. Para controlar a segunda onda da pandemia, o governo alemão fechará restaurantes, academias e teatros por um mês a partir de 2 de novembro.   

Além disso, reuniões particulares serão limitadas a 10 pessoas.   

Já a Itália fechou teatros, academias, piscinas e cinemas e limitou o funcionamento de bares e restaurantes até 18h. (ANSA).   

Veja também

+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Honda apresenta a Rebel CMX1100 para bater de frente com a Harley-Davidson
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel