Edição nº2556 14/12 Ver edições anteriores

Além das palavras

Fátima Meira

As declarações do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, de que até aqui não haveria indícios de crime contra Michel Temer em inquérito sobre irregularidades no decreto dos portos, fará a Comissão de Ética Pública da Presidência da República viver um inédito paradoxo. Um órgão de controle do Poder Executivo pedindo explicações a outro — normalmente a comissão e a PF caminham de mãos dadas. A situação envolve ainda outras questões delicadas, como o provável uso de informações privilegiadas e o efeito cascata do gesto sobre os subordinados. Ou seja, policiais podem perder o interesse em apurar mais. E investigados a falar menos. Afinal, como disse Segovia, “o inquérito pode dar em nada”.

Reforma
Guerra é guerra

A investida de entidades de classe, sobretudo a Fiesp, sobre os deputados pela aprovação da Reforma da Previdência terá contra-carga. A partir da segunda-feira 19, dirigentes e militantes sindicais irão abordar políticos em seus redutos eleitorais, na Câmara e até nos aeroportos, para “conversa olhos nos olhos” — e a entrega de estudos contra as mudanças tramadas pelo governo.

MPF
Contra o atraso

Em uma de suas próximas reuniões, o Conselho Superior do Ministério Público Federal debaterá resolução disciplinando o tele-trabalho. A proibição atual é contraponto ao avanço tecnológico. Houve apenas uma exceção, em 2010, quando um membro do MPF obteve “ok” para atuar de casa, ao mesmo tempo em que fazia doutorado na Itália. No ano passado, o Conselho Nacional do Ministério Público baixou normas gerais sobre a atividade, que agora serão aprofundadas.

Bahia
Mesmo sangue

Divulgação

Irmão é irmão até a morte, e no caso da família Vieira Lima não é diferente. Dessa vez, o deputado Lúcio Vieira Lima — alvo da PF junto com Geddel no caso dos R$ 51 milhões encontrados em um apartamento em Salvador — se tornou alvo de novo inquérito. Será investigado com base nas declarações do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que alega ter sido ameaçado por ele após divulgar a pressão feita por Geddel para liberar a obra de um edifício onde mantinha um imóvel em Salvador — caso que levou à queda do então homem-forte do governo Michel Temer.

STF
Sobre rodas

No rol das mordomias oferecidas às autoridades brasileiras, o Supremo Tribunal Federal gastou R$ 4,5 milhões com a frota oficial, em 2017. As despesas se referem a 87 veículos, incluindo os automóveis utilizados pelos 11 ministros e os outros 25 disponibilizados aos gabinetes. Do total, R$ 3,7 milhões foram desembolsados em salários de motoristas.

Lava Jato
Propina a bordo

Com a ajuda de novos colaboradores, a Força-Tarefa da Lava Jato conseguiu identificar as duas transportadoras de valores que atuavam para a Odebrecht no pagamento de propinas. As revelações foram feitas pelo doleiro Alvaro Novis, dono da Hoya Corretora, e implicam as companhias TransExpert, do Rio de Janeiro, e Transnacional, de São Paulo. Em delação premiada, o operador relatou que mantinha conta corrente nas empresas e que o esquema era similar ao existente no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, com senhas e codinomes.

Eleições
Tá ruço

Wilson Dias

A oito meses da eleição e a menos de um mês do prazo fixado pelo TSE, os tribunais regionais penam para colher impressões digitais e os eleitores votarem por biometria no segundo semestre. Os 76,8 milhões identificados representam 52% do eleitorado. A expectativa do TSE é que 10 milhões de pessoas consigam fazer o cadastro esse ano. Difícil. Ainda mais olhando o quadro nos três grandes colégios eleitorais do País. Até a quarta-feira 15, em São Paulo, apenas 36% passaram pelo procedimento; em Minas Gerais, 23% e, no RJ, 14%. Dos que votam e vivem no exterior (459.646) só 2% fizeram a biometria.

Justiça
Alvo escolhido

Com a decisão da ministra Carmén Lúcia de avocar para o STF a competência de decidir se Cristiane Brasil pode ser nomeada ao cargo de ministra do Trabalho, o governo avalia qual a melhor estratégia jurídica — na hipótese do PTB insistir no nome da deputada. O leque de possibilidades inclui mais recursos à segunda instância (TRF-2), antes da briga no Supremo.

RJ
Cada vez mais

A participação de Moreira Franco no processo de intervenção federal na segurança do Rio fez surgir rumores sobre uma possível candidatura ao Palácio Guanabara. O MDB está mal no estado, depois das péssimas gestões de Sérgio Cabral e do próprio Luiz Fernando Pezão. Ele que dirigiu o RJ de 1987 a 1991 foi com seu colega Raul Jungmann (Defesa) para reunião com o governador no Rio. O ministro tem participado de atos relacionados ao estado, do lançamento de obras à batalha por patrocínio federal às escolas de samba carioca.

Espaço
Nas nuvens

Lançado em 2017, o Satélite Geoestacionário Brasileiro tem uma parte civil e outra do Ministério da Defesa (cerca de 30%). O projeto não vai bem. A Telebrás está tentando vender imagens da superfície da Terra para custear a empreitada — uns R$ 2,7 bilhões. Já os militares andam preocupados com a possibilidade de uso da banda de freqüência que lhes é exclusiva, comprometendo a segurança e soberania nacional.

Direito
Será?

Divulgação

No meio jurídico eleitoral, o ministro Luiz Fux tem sido muito citado. Tudo por achar “irregistrável” a inscrição de político enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Não citou Lula, mas demonstrou desconhecer a legislação, que permite a uma pessoa pedir registro à Justiça Eleitoral, cabendo aos tribunais dar “ok” ou “o veto”. Muitos viram nisso um troco de Fux ao ex-presidente, que jamais quis nomeá-lo para o STF.

Medicina
Boa notícia

Divulgação

O Brasil teve alta de 14,4% nas doações efetivas para transplante no ano passado, atingindo 16,7 pmp (por milhão da população). Santa Catarina e o Paraná foram destaques, com 40,8 pmp e 38 pmp, respectivamente. Nos últimos oito anos, apesar de toda a crise vivida pelo País, a taxa de doadores subiu 69%. Responsável por coordenar as ações nessa área, a ABTO fixou meta de 18pmp para 2018, o que tornará possível realizar 6.550 transplantes renais, 2.300 hepáticos, 440 cardíacos e 130 pulmonares.

Televisão
O triângulo paterno

Leomir Tavares

Sasha (18 anos), David (4) e Mikael (2) são os três filhos de Luciano Szafir. O ator e modelo decidiu parar por aí: fez vasectomia. Em conversa com a Coluna, numa feijoada de carnaval onde só provou salada, revelou outro plano: voltar a TV Globo. Falou do trabalho feito na emissora e que lá, hoje, há poucos atores na sua faixa etária: 50 anos.

Internacional
Vizinho só

O Brasil vai se alinhar ao grupo de países que não querem a Venezuela na VIII Cimeira das Américas, de 13 a 14 de abril, em Lima, no Peru. O isolamento de Nicolas Maduro é assim cada vez maior nas Américas. Ele chegou a ser chamado para o evento. Ao nosso lado estão Argentina, Canadá, Costa Rica, Colômbia, Guatemala, Panamá, Peru, Paraguai, entre outros. Uma das decisões da reunião deve ser condenar as eleições que Maduro convocou para 22 de abril. É certo que alguns destes países que formam o Grupo de Lima não reconhecerão os resultados das urnas na Venezuela.

Justiça
Corta logo!

Relator de duas ações no STF que envolve o pagamento do benefício, o ministro Celso de Mello já recebeu os argumentos da Advocacia Geral da União contra a concessão de auxílio-educação a juízes e servidores do Poder Judiciário do Rio de Janeiro. No valor de R$ 1 mil por cabeça é dado a quem tem até três filhos. O argumento para brecar o pagamento é tão claro como a luz do sol: flagrante desrespeito à política de responsabilidade fiscal.

 

 


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.