Geral

Alckmin anuncia edital de licitação para despoluição da Billings

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta sexta-feira, 20, a publicação de um edital de licitação para despoluição da represa Billings, em São Bernardo do Campo. O projeto foi lançado em 2011, mas ficou prejudicado por causa da crise hídrica, segundo o governo do Estado.

O Programa Pró-Billings, como foi anunciado, terá obras de coleta, afastamento e tratamento de esgoto. O lote licitado inclui a construção de 34 estações elevatórias de esgoto, 60 quilômetros de tubulações para coleta e afastamento dos dejetos e 7,5 mil ligações domiciliares em bairros como Jardim Laura, Las Palmas, Pinheirinho, Los Angeles, Represa e Imigrantes, em São Bernardo.

O programa inclui assentamento de 100 quilômetros de redes coletoras de esgoto, 44 quilômetros de coletores-tronco e linhas de bombeamento, três estações elevatórias principais e outras 36 locais, de menor porte.

A operação, que terá investimento de R$ 128 milhões, terá recursos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Agência de Cooperação Internacional Japonesa (JICA). As obras devem ficar concluídas em quatro anos, segundo o governo.

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ Dancinha de Miley Cyrus com namorado no TikTok viraliza e ganha versões brasileiras
+ Kawazaki suspende suas vendas na França
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior